Argentina imita Brasil e quer renegociar acordo automotivo com México

O déficit comercial argentino desse setor com o México aumentou em quase US$ 1 bilhão no ano passado

Marina Guimarães, correspondente da Agência Estado,

21 de março de 2012 | 09h31

O governo de Cristina Kirchner vai seguir os passos do Brasil e tentará renegociar o acordo automotivo bilateral com o México, segundo anunciou ontem a ministra de Indústria, Débora Giorgi. O déficit comercial argentino desse setor com o México aumentou em quase US$ 1 bilhão no ano passado. "A Argentina vai renegociar o acordo automotriz com México, buscando um maior equilíbrio, porque do jeito que está não traz benefício para a Argentina e deve ser rediscutido pra conseguir o equilíbrio de uma forma muito rápida", afirmou Giorgi.

A ministra disse que "é imprescindível encontrar novas pautas de comércio que permitam equilibrar a balança do setor", que teve um déficit para a Argentina de US$ 995 milhões em 2011. As exportações de automóveis argentinos ao mercado mexicano sofreram um retrocesso de 23% no ano passado, enquanto as importações aumentaram 39%, segundo o governo.

Com o mesmo objetivo de limitar a entrada de automóveis no mercado brasileiro, na semana passada, o Brasil fechou uma renegociação com o México. No último ano, o Brasil teve um déficit comercial de US$ 1,170 bilhão no setor automobilístico.  

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinaindústriaautomóveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.