Argentina libera produção de milho transgênico proibido na UE

Agricultores terão de notificar armazéns, exportadores e processadores da presença da transgenia

Gerson Freitas Jr.

16 de julho de 2007 | 21h21

Buenos Aires, 16 - A Argentina suspendeu a proibição ao cultivo do milho transgênico GA21, conforme resolução publicada no Boletim Oficial de hoje. O governo do país proibiu o plantio da variedade no final de maio, depois que a Espanha rejeitou um carregamento de milho argentino. O traço GA21, que oferece resistência ao herbicida glifosato, não é liberado para consumo humano na União Européia.Agora, os produtores que usarem as sementes geneticamente modificadas terão de garantir que o milho produzido será usado apenas no mercado doméstico ou exportado para países onde não haja qualquer restrição ao consumo.De acordo com a resolução, os agricultores terão de notificar armazéns, exportadores e processadores da presença da transgenia antes de entregar a safra.A Syngenta conseguiu a aprovação do governo argentino para a semente GA21 em 2005, mas ainda não vendeu a variedade no país, segundo o porta-voz da companhia, Medard Schoenmaeckers. No entanto, duas companhias locais também obtiveram a licença e fazem a comercialização. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.