Arroba do boi é negociada até a R$ 63,46 no interior de SP

São Paulo, 10 - O avanço do Indicador Esalq registrado ontem veio de encontro ao que já estava sendo esperado pelo mercado físico de boi. O Indicador à vista passou de R$ 61,15 para R$ 61,32 à vista e o Indicador à prazo subiu de R$ 62,19 para R$ 62,41. Segundo o Cepea, negócios a R$ 63,46 para descontar o Funrural à prazo já foram registrados no interior paulista. Elio Micheloni, da Hencorp Commcor, explica que os R$ 63,46 registrados refere-se a operações feitas a R$ 62 livres de imposto. "Os frigoríficos estão tendo dificuldades em comprar animais, mesmo os confinados, e isto está fazendo com que os preços subam de forma expressiva", disse. À medida que os preços sobem, no entanto, um maior volume de animais está sendo disponibilizado. Em Goiânia, com a alta de R$ 1 para R$ 58 para descontar o Funrural, os bois apareceram e as escalas subiram de 4 para 6 dias na média. Alguns frigoríficos estão utilizando vaca gorda em suas escalas. No Triângulo Mineiro, a escassez de animais é maior e, com a alta de R$ 1,50 no preço, de R$ 60 para R$ 61,50, as escalas aumentaram apenas 1 dia, de 5 para 6 dias na média. A alta no físico ainda está, contudo, um pouco abaixo da expectativa dos operadores do mercado futuro e isto, vinculado ao recuo do dólar ante o real, tem feito com que o longo prazo seja mais afetado por liquidações. O curto prazo continua sendo sustentado pelo físico mais firme. Micheloni informa que o fato de os pastos ainda não estarem prontos deve levar a um atraso na oferta de animais e a criação de um intervalo de oferta limitada de bois entre dezembro e janeiro. A expectativa é de que neste período a arroba atinja o pico da entressafra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.