Associação de aço da China pede união contra acordo BHP-Rio

Todos os países deveriam se unir contra uma joint-venture "monopolística" entre as gigantes australianas de mineração BHP Billiton e Rio Tinto, afirmou a associação da indústria do aço da China, nesta quinta-feira.

REUTERS

17 de dezembro de 2009 | 08h26

A Associação de Ferro e Aço da China informou em anúncio publicado no China Metallurgical News de que a planejada joint-venture de 116 bilhões de dólares vai prejudicar a competição e guiar os preços globais de minério de ferro para cima e que "os clientes ao redor do mundo todo deveriam se opor a isso".

A Cisa também informou no comunicado que o governo chinês deveria também usar sua legislação antimonopólio para bloquear o acordo entre as mineradoras, mas especialistas na nova legislação ainda não provada do país afirmam que isso pode ser difícil de ser feito.

"Até agora, o Ministério do Comércio não criou qualquer mecanismo para apoiar uma ação legal pró-ativa contra práticas de monopólio e, por essa razão, não creio que montará um processo que vá contra a Rio e a BHP", afirmou Dong Zhengwei, advogado baseado em Pequim que abriu procedimentos civis contra monopólios domésticos.

Ele sugeriu que a China vai esperar a União Europeia responder à fusão antes de tomar qualquer decisão própria.

(Por David Stanway)

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIACHINAOPOSICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.