Ata mostra que Banco da Inglaterra poderá adotar mais medidas de estímulo

Mesmo com sinais de inflação, BOE parece pronto para aumentar o programa de compras de bônus

Danielle Chaves, da Agência Estado,

19 de setembro de 2012 | 08h47

LONDRES - O Banco da Inglaterra (BOE) parece pronto para ampliar seus esforços de estímulo econômico novamente neste ano, apesar dos sinais de novas pressões inflacionárias. A ata da última reunião de política monetária do banco central mostrou que os nove membros do comitê votaram a favor da manutenção do programa de compra de bônus em 375 bilhões de libras (US$ 609,1 bilhões) e da taxa básica de juros em 0,5%.

Mas a ata também mostrou que alguns formadores de política sentiram que estímulos adicionais provavelmente serão necessários no futuro em razão da perspectiva fraca e incerta sobre o crescimento econômico. Para um dos membros do comitê, que não foi identificado na ata, existia motivo para o BOE anunciar mais compras de bônus imediatamente.

A expectativa de mais medidas existe apesar de os formadores de política acreditarem que a taxa anual de inflação provavelmente demorará mais para cair abaixo de 2,0% do que o calculado anteriormente por causa do aumento dos preços ds commodities e dos custos trabalhistas das empresas. A taxa anual de inflação no Reino Unido diminuiu para 2,5% em agosto, de 2,6% em julho, e deverá cair abaixo de 2,0% em meados de 2013.

Economistas preveem que o BOE aumentará as compras de bônus em novembro, quando a atual meta de 375 bilhões de libras for atingida. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BOEbônusinglaterra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.