Atividade do setor privado na zona do euro atinge maior nível em 6 meses

Leitura preliminar do índice PMI subiu para 56,3 em janeiro, de 55,5 em dezembro

Clarissa Mangueira e Danielle Chaves, da Agência Estado,

24 de janeiro de 2011 | 08h31

O ritmo do crescimento do setor privado da zona do euro acelerou para seu maior patamar em seis meses em janeiro, à medida que a recuperação do setor de serviços mais do que compensou a queda do setor manufatureiro, de acordo com os resultados preliminares de uma pesquisa da empresa de informação financeira Markit.

A leitura preliminar do índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, um indicador de atividade baseado em resultados parciais de uma pesquisa com empresas de manufatura e serviços, subiu para 56,3 em janeiro, de 55,5 em dezembro. A leitura acima do nível neutro de 50 indica expansão da atividade.

Embora o PMI do setor de serviços da zona do euro tenha aumentado para 55,2 em janeiro, o maior patamar em dois meses, de 54,2 em dezembro, PMI industrial caiu para 56,9 - o menor nível em dois meses -, de 57,1, afirmou o Markit.

A previsão dos analistas era de uma leitura de 57,0 para o PMI industrial e de 55,3 para o PMI do setor de serviços.

Alemanha

A atividade no setor privado da Alemanha continuou se expandindo em janeiro, mas o crescimento foi puxado pelo setor de serviços, que contrabalançou uma modesta desaceleração no setor industrial, de acordo com dados preliminares sobre o índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês).

O PMI industrial caiu para 60,2 em janeiro, de 60,7 em dezembro, ficando abaixo da previsão dos economistas ouvidos pela Dow Jones, de 60,9. O PMI do setor de serviços, porém, subiu para 60,0, de 59,2, acima da projeção de 59,1.

Com isso, o PMI composto avançou para 61,0 em janeiro, de 60,3 em dezembro. Uma leitura acima de 50 indica expansão, enquanto um valor abaixo aponta contração. 

França

O índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) composto da França subiu para o maior nível em quatro meses em janeiro, a 56,9, de 56,3 em dezembro, segundo dados preliminares divulgados pela empresa de pesquisas Markit.

No entanto, embora o PMI do setor de serviços também tenha atingido a máxima em quatro meses, a 57,1, de 54,9 em dezembro, o PMI industrial recuou para a mínima em seis meses, a 54,3, de 57,2. Economistas consultados pela Dow Jones esperavam que o PMI de serviços subisse para 55,3 em janeiro e o PMI industrial caísse para 57,0.

Apesar do crescimento do PMI composto, a pesquisa da Markit mostrou que o emprego aumentou apenas marginalmente em janeiro e ao ritmo mais fraco dos últimos oito meses. As empresas de serviços registraram o menor crescimento na folha de pagamentos desde maio de 2010, enquanto as indústrias cortaram empregos pela primeira vez em quatro meses. As informações são da Dow Jones.

(Texto atualizado às 9h26)

Tudo o que sabemos sobre:
zona do euroatividadePMIsetor privado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.