Atividade na indústria cresce, mas continua abaixo do nível pré-crise

Utilização da capacidade instalada ficou em 81,7% em dezembro; Em setembro de 2008, o indicador era de 83%

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

10 de fevereiro de 2010 | 10h44

O nível de utilização da capacidade instalada (Nuci) na indústria de transformação ficou em 81,7% em dezembro de 2009, ante um patamar de 81,3% em novembro do ano passado, segundo dados dessazonalizados divulgados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em dezembro de 2008, o índice era de 79,4%.

 

Segundo a CNI, o nível de utilização da capacidade instalada cresce gradualmente, mas não superou o nível pré-crise. Em setembro de 2008, pela série dessazonalizada, o indicador era de 83%. 

 

Já o indicador de vendas reais, que avalia o faturamento da indústria, cresceu 3,5% em dezembro, ante novembro, e apontou alta de 12,2% ante o último mês de 2008. No acumulado do ano, no entanto, houve uma queda de 4,3% em relação a 2008. A CNI destaca também que o faturamento real da indústria de transformação superou em dezembro o nível pré-crise em 0,2%. O indicador apresentou 114 pontos ante 113,8 pontos em setembro de 2008.

 

De acordo com o documento da CNI, os indicadores industriais de dezembro mostraram a continuação do processo de reaquecimento da atividade do setor.

 

Emprego

 

As horas trabalhadas, que indicam o ritmo da produção, caíram 0,4% em dezembro, na comparação com o mês anterior, mas registraram alta de 4,7% em relação a dezembro de 2008. Esse movimento de queda mensal ocorreu após três meses seguidos de expansão do indicador. No ano, as horas trabalhadas fecharam com queda de 7,6% ante 2008. A CNI destaca, no documento Indicadores Industriais de dezembro, que o número de horas trabalhadas é o índice que se recupera mais lentamente dos impactos da crise frente as demais variáveis pesquisadas.

 

O emprego na indústria registrou aumento de 1,7% em dezembro, ante novembro, e de 0,2% na comparação com dezembro de 2008. No resultado final do ano, o emprego registrou queda de 3,1%, em relação ao ano anterior. O emprego teve em dezembro a maior taxa de expansão mensal do indicador desde o início da série histórica em janeiro de 2003.

 

Já a massa salarial real cresceu 0,2% em dezembro de 2009, ante igual mês de 2008, mas fechou o ano com uma queda de 1,5% ante 2008. O indicador de massa salarial real não tem a comparação dessazonalizada em relação ao mês anterior porque a série é curta, mas, segundo a CNI, o índice sem o ajuste sazonal cresceu 14,6% em dezembro, ante novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.