Ativos em dólar são quase 70% das reservas da China, diz pesquisador

Governo chinês não divulgou detalhes sobre suas reservas internacionais, que somavam US$ 3 trilhões no fim de março, o que torna país o maior detentor de reservas do mundo

Danielle Chaves, da Agência Estado,

20 de junho de 2011 | 11h32

Os ativos denominados em dólares correspondem a quase 70% das enormes reservas internacionais da China, afirmou Yang Tao, pesquisador da Academia Chinesa de Ciências Sociais em um artigo publicado na revista China Magazine na quinta-feira. Nesta segunda-feira, 20, Yang declarou à agência Dow Jones que a proporção é uma estimativa e não um dado oficial.

A proporção de 70% é próxima ou um pouco acima dos cálculos de outros analistas. O governo chinês não divulgou oficialmente os detalhes sobre suas reservas internacionais, que somavam US$ 3,0447 trilhões no fim de março, o que torna a China o maior detentor de reservas do mundo.

A revista China Finance é mantida pelo Banco do Povo da China (PBOC, o banco central do país), mas o departamento editorial afirmou que a instituição não revisa os textos antes da publicação.

A diversificação das reservas do país tem sido tema de debates na China, particularmente à medida que o dólar se enfraquece diante do yuan e de outras grande moedas internacionais. No entanto, se as estimativas contidas no artigo forem corretas, o governo não tem feito muito para reduzir o tamanho dos ativos em dólar que possui. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaativosdólarreservas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.