ATUALIZA 3-Eletrobras pede retorno de funcionários em greve

Os funcionários da Eletrobras entraram em greve nesta segunda-feira após não terem conseguido o aumento salarial solicitado e pedindo a retomada das negociações. Mas a Eletrobras informou no final desta tarde que considera a proposta por ela apresentada justa e espera que os trabalhadores retornem ao trabalho.

Reuters

20 de julho de 2012 | 13h20

"Considerando o cenário internacional, com forte impacto sobre a economia do país, a empresa considera a proposta de reposição integral da inflação justa e adequada e espera que os trabalhadores compreendam os limites que se impõem e retornem ao trabalho imediatamente", informou a empresa em comunicado.

Os trabalhadores pedem aumento salarial de 10,73 por cento, segundo informou o secretário de energia da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), Fernando Pereira, à Reuters, enquanto a Eletrobras ofereceu 5,1 por cento em negociações encerradas no dia 11 de julho.

"Não alterando a proposta, a gente continua a greve", disse Pereira à Reuters.

O representante dos trabalhadores disse que a adesão ao movimento "é boa", e que praticamente todos os funcionários de 14 empresas do grupo pararam --com exceção dos 30 por cento necessários para manter as atividades de operação e outras essenciais.

O diretor da Associação dos Empregados da Eletrobras e também do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Energia do Rio de Janeiro (Sintergia-RJ), Emanuel Mendes Torres, disse ainda que os funcionários pararam em protesto à "interrupção das negociações".

Os trabalhadores que aderiram à greve atuam nas empresas Eletronorte, Eletrosul, Eletronuclear, Chesf, Furnas, CGTEE, Boa Vista Energia, Eletroacre, Ceron (RO), Amazonas Energia, Ceal (AL), Cepisa (PI) e Cepel, segundo informações da FNU.

A Eletrobras ainda informou em nota que a greve está "transcorrendo em clima de tranquilidade e respeito entre as empresas e sindicatos", e confirmou que as atividades essenciais estão sendo minimamente preservadas para evitar danos à população e usuários de energia.

A estatal federam tem cerca de 27 mil trabalhadores, segundo a FNU.

(Por Anna Flávia Rochas)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAELETROBRASGREVEATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.