Auditoria aponta irregularidade no Grupo Espírito Santo

O Espírito Santo International SA, grande conglomerado português cujas práticas financeiras têm sido criticadas por especialistas estrangeiros, está em "uma condição financeira grave" e suas contas apresentam "Irregularidades", de acordo com um documento publicado por uma das filiais da companhia.

AE, Agencia Estado

21 de maio de 2014 | 16h17

O Espírito Santo International é uma das maiores empresas de Portugal, com ativos que vão de uma participação em um grande banco português, hotéis até um operador de hospital. Por ser controlado de maneira privada, ele não revela publicamente suas finanças.

Um documento regulatório publicado pelo Banco Espírito Santo, que é controlado parcialmente e indiretamente pelo conglomerado, disse que uma auditoria externa realizada pelo banco central do país em 2013 nos resultados do Espírito Santo International apontou uma série de problemas.

A KPMG, que realizou a auditoria, identificou irregularidades nas contas e concluiu que o Espírito Santo International está em uma grave condição financeira", afirmou o Banco Espírito Santo, em um momento no qual se prepara para vender 1 bilhão de euros (US$ 1,37 bilhão) em ações. Embora o banco não seja responsável pelos problemas da empresa controladora, ele alertou no documento que sua reputação poder ser prejudicada.

Por meio de uma subsidiária, a Espírito Santo International detém parcialmente a holding do banco. Até março, o CEO do Banco Espírito, Santo Ricardo Salgado, era um membro do Conselho de Administração do Espírito Santo International. As ações do Banco Espírito Santo fecharam com queda de 4,02% na Bolsa de Lisboa. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.