Aumento da inflação vai exigir que governo fique atento, diz Dilma

Presidente disse que não podia esconder que a inflação está subindo, entre outros fatores pelo aumento na área de bens, alimentos e etanol

Leonêncio Nossa e Tânia Monteiro, da Agência Estado,

26 de abril de 2011 | 13h20

A presidente Dilma Rousseff afirmou, há pouco, que o seu governo está atento às causas do aumento da inflação. "O meu governo está diuturnamente e noturnamente atento a todas as pressões inflacionárias e fazendo análises delas. Em sua primeira participação em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), Dilma disse que não podia esconder que a inflação está subindo, entre outros fatores pelo aumento na área de bens, alimentos e etanol.

No início do seu pronunciamento, a presidente fez um balanço da situação de países emergentes, como o Brasil, e desenvolvidos, após a crise financeira internacional de 2008. Dilma ressaltou que os países desenvolvidos saíram da crise com um déficit gigantesco e os países emergentes, que segundo ela sustentaram a dinâmica econômica no pior momento da crise, agora estão enfrentando problemas devido a uma política de expansão da liquidez e desequilíbrios inflacionários. "Um afluxo desse nível de liquidez significa necessariamente uma grande pressão dos valores dos ativos e na expansão desenfreada do crédito, além de uma pressão monetária sobre as economias em desenvolvimento", avaliou.

Dilma afirmou que sempre irá procurar o CDES não para anunciar ou divulgar medidas, mas para discutir os rumos do País. "Estou certa de que é importante a valorização desse conselho. Assumo o compromisso de valorizar esse espaço democrático e plural e, sobretudo, fortalecer o debate e discutir os caminhos e desafios que o País enfrenta.

A presidente destacou que durante os anos do governo Lula o País mudou os caminhos do desenvolvimento econômico, tornando possível o desenvolvimento e a inclusão de renda.

Palocci

O ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, destacou hoje que o combate à inflação é prioridade de todos. "É, sem dúvida, uma prioridade que não devemos abandonar", disse Palocci, durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES). "É importante que estejamos atentos a isso e fortaleçamos o esforço da equipe econômica", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmainflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.