Automóveis e combustíveis impulsionam importações, diz MDIC

Média diária de importações de automóveis e partes chegou a US$ 137,480 milhões na semana entre 5 e 11 de dezembro; em combustíveis e lubrificantes, a média foi de US$ 218,998 milhões

Ayr Aliski, da Agência Estado,

12 de dezembro de 2011 | 17h33

BRASÍLIA - O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) divulgou nesta segunda-feira, 12, o detalhamento dos resultados da balança comercial da segunda semana deste mês. Nesse período, compreendido entre 5 e 11 de dezembro, com cinco dias úteis, houve déficit de US$ 730 milhões, saldo de exportações de US$ 4,273 bilhões e importações de US$ 5,003 bilhões.

Com esse resultado, a média diária das exportações da segunda semana foi de US$ 854,6 milhões, o que representa queda de 4,2% em relação à média diária de US$ 892,5 milhões da primeira semana. Segundo o MDIC, na comparação entre esses dois períodos, caíram as vendas ao exterior de produtos semimanufaturados e básicos, mas houve alta nas exportações de manufaturados.

As remessas de semimanufaturados registraram média diária de exportação de US$ 124,2 milhões na semana passada, ou seja, queda de 5,4% ante a média de US$ 131,3 milhões da primeira semana. O MDIC explica que essa retração ocorreu, principalmente, por causa do comportamento de açúcar em bruto, celulose, couros e peles e óleo de soja em bruto. A média diária de exportações de açúcar, na semana passada, foi de US$ 49,682 milhões; ante US$ 71,499 milhões, na primeira semana do mês.

Entre os produtos básicos, a média diária de exportações ficou em US$ 331,3 milhões na semana passada, o que representa queda de 11,8% em relação à média de US$ 375,8 milhões da primeira semana. Segundo o ministério, o movimento é justificado pelos resultados dos segmentos de petróleo, carnes de frango, bovina e suína, algodão em bruto e farelo de soja. Em petróleo e derivados, por exemplo, a média diária de exportações na semana passada ficou em US$ 29,019 milhões; ante US$ 113,821 milhões, na primeira semana.

Nos manufaturados, a média diária de exportações da semana passada alcançou US$ 385,3 milhões. Isso representa uma alta de 2,7% em relação à média diária de US$ 375,2 milhões da primeira semana. O movimento foi sustentado, principalmente, por aviões, automóveis de passageiros, óleos combustíveis, óxidos e hidróxidos de alumínio, polímeros plásticos, laminados planos e veículos de carga.

Nas importações, a média diária atingiu a marca de US$ 1,001 bilhão, o que representa um salto de 36,6% em relação à média de US$ 733 milhões da primeira semana do mês (entre os dias 1º e 4, com dois dias úteis). De acordo com o MDIC, esse movimento é explicado pelo aumento nos gastos com combustíveis e lubrificantes, equipamentos mecânicos, veículos automóveis e partes, adubos e fertilizantes, siderúrgicos e plásticos e obras.

Entre os diversos segmentos de produtos apresentados pelo MDIC, automóveis e combustíveis tiveram as mais elevadas médias diárias de importações na semana passada. A média diária de importações de automóveis e partes chegou a US$ 137,480 milhões na semana entre 5 e 11 de dezembro, ante US$ 58,514 milhões, na primeira semana do mês. Em novembro deste ano, a média diária de importações de automóveis e partes havia ficado em US$ 125,988 milhões. Em dezembro do ano passado, a média diária de importações do segmento foi de US$ 70,450 milhões. Em combustíveis e lubrificantes, a média diária de importação da semana passada foi de US$ 218,998 milhões, ante US$ 51,860 milhões da primeira semana do mês; US$ 196,417 milhões, no mês passado; e US$ 90,395 milhões diários, em dezembro de 2010.

Mês

Considerados os resultados conjuntos das duas primeiras semanas deste mês, a balança comercial brasileira registra déficit de US$ 411 milhões, que é o saldo de exportações de US$ 6,058 bilhões e importações de US$ 6,469 bilhões entre os dias 1º e 11. Isso representa uma média diária de exportações de US$ 865,4 milhões e uma média de importações de US$ 924,1 milhões.

Quando comparadas as médias das duas primeiras semanas de dezembro deste ano com as de dezembro do ano passado, houve queda nas exportações e aumento nas importações. A média diária de exportações de US$ 865,4 milhões do início deste mês é 4,8% menor que a média de US$ 909,5 milhões de dezembro de 2010. De acordo com o MDIC, nessa comparação, utilizando o critério de médias diárias, houve retração das exportações de produtos básicos (queda de 17,9%, de US$ 418,9 milhões, em dezembro do ano passado, para US$ 344,0 milhões, nas duas primeiras semanas deste mês). O movimento é explicado, de acordo com o ministério, pelo comportamento dos segmentos de petróleo, milho em grão, minério de ferro e farelo de soja.

Em compensação, na comparação entre o início de dezembro deste ano e dezembro do ano passado, aumentaram as vendas de semimanufaturados (alta de 8,4%, de US$ 116,4 milhões de média diária, em dezembro do ano passado; para US$ 126,2 milhões, nas duas primeiras semanas de dezembro deste ano). O movimento é explicado, principalmente, por causa de catodos de cobre, semimanufaturados de ferro e aço, borracha sintética, ferro fundido, couros e peles e celulose). Também cresceram as exportações de manufaturados (elevação de 8,1%, de US$ 353,8 milhões para US$ 382,4 milhões), impulsionadas, principalmente, por etanol, motores e geradores, aviões, óxidos e hidróxidos de alumínio, automóveis de passageiros e polímeros plásticos.

Em relação aos resultados de novembro deste ano, a média diária das exportações caiu 20,5% (de US$ 1,089 bilhão, no mês passado, para US$ 865,4 milhões, nas duas primeiras semanas de dezembro). Segundo o MDIC, houve retração nas vendas de produtos básicos (-31,6%, de US$ 502,9 milhões para US$ 344,0 milhões), semimanufaturados (-25,6%, de US$ 169,5 milhões para US$ 126,2 milhões) e manufaturados (-2,8%, de US$ 393,6 milhões para US$ 382,4 milhões) nessa comparação.

Nas importações,a média diária de US$ 924,1 milhões das duas primeiras semanas de dezembro deste ano é 36,5% mais elevada que a média de US% 677,1 milhões de dezembro do ano passado. Houve queda de 12,8%, no entanto, quando feita comparação com os resultados de novembro deste ano, quando a média diária de importações chegou a US$ 1,059 bilhão.

O MDIC explica que, no comparativo com dezembro de 2010, aumentaram os gastos, principalmente, com adubos e fertilizantes (+124,1%), aeronaves e peças (+122,3%), combustíveis lubrificantes (+89,4%), veículos automóveis e partes (+63,1%), borracha e obras (+32,5%) e siderúrgicos (+32,5%). Em relação a novembro deste ano houve queda, principalmente, em aparelhos eletroeletrônicos (-28,9%), farmacêuticos (-23,9%), plásticos e obras (-15,0%), equipamentos mecânicos (-14,9%) e combustíveis e lubrificantes (-12,8%).

Ano

No acumulado do ano, a balança comercial brasileira registra superávit de US$ 25,563 bilhões (considerando período entre 1º de janeiro e 11 de dezembro). Esse número é o resultado de exportações de US$ 239,970 bilhões e importações de US$ 214,407 bilhões. Em todo esse período, a média diária de exportação chega a US$ 1,016 bilhão e a média das importações fica em US$ 908,5 milhões.

Os dados foram apresentados em notas e tabelas distribuídos pelo MDIC, mas não houve entrevista de técnicos do MDIC para ampliar as explicações sobre os resultados da balança comercial deste início de dezembro. Somente deverá haver entrevista no início de janeiro, quando for apresentado o resultado consolidado da balança comercial do mês e do ano.

Tudo o que sabemos sobre:
automóveiscombustíveisimportações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.