Avança negociação para religar a usina AES Uruguaiana

O ministro do Planejamento do Argentina, Julio de Vido, confirmou nesta quinta-feira (20) que estão adiantadas as negociações com o governo brasileiro e com o grupo AES para fornecimento de energia à usina térmica AES Uruguaiana. A Usina está sem operar há mais de três anos, desde que o país vizinho deixou de entregar gás para a geradora por causa de sua crise energética.

LUCIANA COLLET, Agencia Estado

20 de setembro de 2012 | 19h08

"É um empreendimento que nos interessa", comentou, sem dar detalhes sobre as bases do acordo que está sendo desenhado. Segundo Vido, as negociações, que estavam paradas nos últimos anos, foram retomadas há cerca de quatro meses. O ministro argentino não quis dar um prazo para a conclusão das negociações, mas representantes do governo brasileiro sinalizaram a intenção de concluir as conversações ainda este ano.

Em recente entrevista a um grupo de jornalistas, o diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, havia revelado a retomada das negociações. Segundo ele, a volta da AES Uruguaiana melhoraria a confiabilidade do sistema na Região Sul, que passou por uma forte estiagem no primeiro semestre deste ano, levando algumas hidrelétricas a deixar de gerar por causa da falta de água nos reservatórios. Além disso, parte da energia gerada pela AESUruguaiana poderia ser exportada para a Argentina, disse. A usina possui 639 MW de capacidade instalada e está paralisada desde 2009. A argentina YPF era a fornecedora do gás.

Tudo o que sabemos sobre:
energiaAES UruguaianaacordoArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.