Reuters
Reuters

Azul e Avianca passam para próxima fase em negociação para compra da TAP

Consórcio liderado pelo empresário português Miguel Pais do Amaral saiu das negociações por não cumprir 'exigências legais'

DOW JONES

21 Maio 2015 | 17h14

Os empresários David Neeleman, fundador da brasileira Azul Linhas Aéreas, e Germán Efromovich, dono da AviancaTaca Holding, passaram para a próxima fase de negociações com o governo de Portugal para comprar uma fatia majoritária na operadora portuguesa TAP.

Ficou para trás um consórcio liderado pelo empresário português Miguel Pais do Amaral, segundo informou o secretário de Transportes, Sergio Monteiro, em entrevista à imprensa. O secretário não forneceu detalhes sobre as ofertas, mas disse que a feita por Pais do Amaral não cumpria certas exigências legais.


Essa é a segunda vez em três anos que o governo português tenta vender a deficitária e altamente endividada empresa aérea. Portugal tentou vender a TAP em 2012, mas descartou os planos depois de o único interessado - Efromovich - não atender condições financeiras para um acordo.

Na ocasião, Efromovich, por meio do Grupo Synergy, que controla a Avianca, ofereceu 39 milhões de euros (US$ 43,4 milhões) por 95% da TAP, mais uma injeção de capital de 316 milhões de euros, e aceitou assumir 1,1 bilhão de euros em dívida da companhia.

Desta vez, o governo português está oferecendo até 66% da companhia - 61% para investidores e o restante para os funcionários.

Mais conteúdo sobre:
economianegóciosTAP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.