Balança tem saldo positivo de US$ 391 milhões na 3ª semana de julho

Até o dia 18 deste mês, superávit acumulado do ano registra queda de 42,6% ante igual período de 2009

Sandra Manfrini, da Agência Estado,

19 de julho de 2010 | 11h06

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 391 milhões na terceira semana de julho (12 a 18), segundo dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) nesta segunda-feira, 19. Em cinco dias úteis, as exportações somaram US$ 4,192 bilhões e as importações, US$ 3,801 bilhões.

Com o resultado da semana, no mês, a balança comercial acumula superávit de US$ 1,337 bilhão. As exportações somam US$ 9,879 bilhões, com média diária de US$ 823,3 milhões, o que representa um aumento de 33,9% ante a média verificada em julho de 2009 (US$ 614,9 milhões) e uma ligeira alta de 1,1% em relação a junho último (US$ 814 milhões).

As importações totalizam, no mês, US$ 8,542 bilhões, com média diária de US$ 711,8 milhões, valor 45,8% superior à média verificada em julho do ano passado (US$ 488,3 milhões) e 0,9% maior que a média de junho passado (US$ 705,6 milhões).

No ano, superávit tem queda de 42,6%

A balança comercial brasileira acumula, no ano, até o dia 18 de julho, um superávit de US$ 9,216 bilhões. Segundo dados do MDIC, o saldo do ano é 42,6% menor que o verificado em igual período do ano passado, quando a balança comercial acumulava superávit de US$ 16,058 bilhões.

Por outro lado, a corrente de comércio (soma das exportações e importações) do período atingiu US$ 188,916 bilhões, valor 34,9% superior aos US$ 140,020 bilhões registrados no mesmo período de 2009.

As exportações somam US$ 99,066 bilhões, com média diária de US$ 733,8 milhões, valor 26,9% superior à média registrada em igual período do ano passado (US$ 578,1 milhões). As importações totalizam US$ 89,850 bilhões, com média diária de US$ 665,6 milhões, o que representa um aumento de 45% ante a média verificada no mesmo período do ano passado (US$ 459,1 milhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.