Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Balanço da Petrobrás vai voltar ao azul, dizem analistas

Avanço da cotação do petróleo e câmbio devem ajudar estatal a registrar balanço positivo, após 3 trimestres de prejuízos

Gabriela Mello, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2016 | 22h19

Depois de três trimestres consecutivos de prejuízo, a Petrobrás deve voltar a apresentar resultado líquido positivo no balanço referente ao segundo trimestre, a ser divulgado nesta quinta-feira, 11. A média das projeções de seis instituições ouvidas pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado (Bank of America Merrill Lynch, Brasil Plural, Goldman Sachs, Itaú BBA, Morgan Stanley e UBS) aponta para lucro líquido de R$ 2,097 bilhões no período.

Se confirmado, a estatal reverterá a perda de R$ 1,246 bilhão verificada de janeiro a março, e excederá em 294,9% o lucro de R$ 531 milhões apurado no mesmo intervalo de 2015. Entre as justificativas para o otimismo, analistas citam o avanço das cotações do petróleo, câmbio, redução das despesas e crescimento da produção com o término de trabalhos de manutenção em algumas plataformas.

A expectativa média das previsões para receita líquida da petroleira entre abril e junho é de R$ 71,073 bilhões. O montante esperado supera em 1,04% os R$ 70,337 bilhões gerados no primeiro trimestre, mas fica 11,09% abaixo dos R$ 79,943 bilhões observados no segundo trimestre de 2015.

“Esperamos outro conjunto de resultados saudáveis para Petrobrás”, escreveram Diego Mendes e André Hachem, analistas do Itaú BBA, em relatório. A expectativa, segundo eles, leva em conta a alta de 33% do preço médio do Brent na comparação trimestral, a valorização de 10% do real e a diluição dos custos com o aumento dos volumes.

O Brasil Plural projeta um crescimento de 8% na produção doméstica de petróleo em relação ao primeiro trimestre do ano. “A demanda interna por combustíveis também foi mais forte do que a antecipada, com significativa melhora em relação ao último trimestre, ainda que mais baixa do que em todo o ano passado”, destacou relatório do banco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.