Balanço da Whirlpool no 3º trimestre decepciona

A Whirlpool, dona das marcas Brastemp, Consul e KitchenAid, divulgou hoje que seu lucro líquido no terceiro trimestre avançou 124,05%, para US$ 177 milhões (US$ 2,27 por ação), de US$ 79 milhões (US$ 1,02 por ação) no mesmo período do ano passado. O lucro ajustado subiu para US$ 2,35 por ação, de US$ 2,22 por ação. As vendas cresceram 2,3%, para US$ 4,63 bilhões. Analistas ouvidos pela Thomson Reuters esperavam lucro de US$ 2,68 por ação e receita de US$ 4,69 bilhões.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

28 de outubro de 2011 | 11h48

Apesar do forte aumento no lucro, as vendas cresceram menos do que o esperado e a companhia anunciou um plano de redução de gastos, que prevê a demissão de mais de 5 mil funcionários, principalmente na América do Norte e Europa, o que representa 10% da sua força de trabalho. A previsão de lucro no ano foi rebaixada para a faixa entre US$ 4,75 e US$ 5,25, da estimativa de US$ 7,25 a US$ 8,25 divulgada em julho.

"Nós registramos uma demanda industrial global menor do que o esperado e elevados custos de matérias-primas", disse o presidente e executivo-chefe, Jeff M. Fettig. "Nós estamos começando a ver benefícios dos aumentos de preços que tinham sido anunciados anteriormente. Entretanto, nossos resultados foram impactados negativamente por níveis menores de demanda nos países desenvolvidos, uma desaceleração nos mercados emergentes e altos níveis de inflação nos preços das matérias-primas", comentou.

A receita da companhia no terceiro trimestre caiu 2% na América do Norte, a maior região de venda da Whirlpool. As vendas subiram 6% na Europa, no Oriente Médio e na África, e avançaram 8% na América Latina. Na Ásia, o avanço foi de 10%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Whirlpoolbalanço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.