Balanço de Pagamentos tem déficit de US$ 4,5 bilhões em outubro

Enquanto a Conta Capital e Financeira teve superávit de US$ 2,5 bilhões, as Transações Correntes ficaram negativas em US$ 7,1 bilhões, o maior déficit para o mês da história

Eduardo Cucolo e Célia Froufe, da Agência Estado,

22 de novembro de 2013 | 10h35

SÃO PAULO - O Balanço de Pagamentos do País registrou saldo negativo de US$ 4,5 bilhões em outubro. Enquanto a Conta Capital e Financeira teve superávit de US$ 2,5 bilhões, as Transações Correntes ficaram negativas em US$ 7,132 bilhões.

O déficit em conta corrente, de US$ 7,132 bilhões, é o maior para meses de outubro da série histórica do Banco Central. Considerando todos os meses do ano, é o quinto maior resultado negativo. O maior déficit foi registrado em janeiro de 2013 (US$ 11,350 bilhões). A série histórica mensal teve início em janeiro de 1980.

Nos dez primeiros meses do ano, o déficit em conta corrente está em US$ 67,548 bilhões, o que representa 3,63% do Produto Interno Bruto (PIB). Já no acumulado dos últimos 12 meses até outubro de 2013, o saldo negativo está em US$ 82,211 bilhões, o equivalente a 3,67% do PIB.

Abrindo a conta corrente, em outubro, o saldo da balança comercial foi negativo em US$ 224 milhões, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 4,946 bilhões. Dentro da conta de serviços, contribuiu para o resultado o saldo das viagens internacionais. Os brasileiros gastaram US$ 2,3 bilhões em viagens ao exterior em outubro, valor recorde.

Quando há superávit no BP, o saldo eleva as Reservas Internacionais do País. No caso contrário, como foi em outubro, o saldo negativo diminui as Reservas Internacionais.

Investimento estrangeiro. Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) somaram US$ 5,362 bilhões em outubro, resultado que ficou abaixo dos US$ 7,730 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.

No acumulado do ano até o mês passado, o IED soma US$ 49,144 bilhões, o equivalente a 2,64% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, o IED acumulado era de US$ 55,327 bilhões (2,95% o PIB). Em 12 meses até outubro, o IED está em US$ 59,088 bilhões, o que corresponde a 2,64% do PIB.

O saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País ficou positivo em US$ 196 milhões em outubro. No mesmo mês de 2012, o resultado havia sido positivo em US$ 868 milhões.

 O Banco Central informou também que o investimento estrangeiro em ações brasileiras, dentro e fora do País, ficou positivo em US$ 193 milhões em outubro. No mesmo período do ano passado, estava negativo em US$ 236 milhões. No acumulado do ano até outubro, o valor subiu de US$ 2,662 bilhões em 2012 para US$ 9,849 bilhões em 2013.

Dívida externa. O Banco Central informou que a estimativa para a dívida externa brasileira em outubro de 2013 é de US$ 310,982 bilhões. Em setembro de 2013, último dado verificado, a dívida estava em US$ 309,120 bilhões. No fim de 2012, estava em US$ 312,898 bilhões.

A dívida externa de longo prazo atingiu US$ 279,088 bilhões em outubro, enquanto o estoque de curto prazo estava em US$ 31,894 bilhões no fim do mês passado, segundo estimativas do BC.

A variação na dívida de longo prazo em relação a setembro se deu, principalmente, por conta das captações líquidas de empréstimos do setor não financeiro (US$ 1,2 bilhão) e do governo (US$ 305 milhões). Além disso, a variação por paridade aumentou o estoque em mais US$ 249 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
Balanço de Pagamentossetor externoBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.