Estadão
Estadão

Banco Central aprova compra do Citibank pelo Itaú Unibanco

Aquisição já foi aprovada pelo Cade e bancos só aguardavam aval do BC para concluir operação

Renato Carvalho, Aline Bronzati e Mônica Scaramuzzo, O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2017 | 19h33

O Banco Central aprovou a aquisição dos negócios de varejo do Citibank no Brasil pelo Itaú Unibanco. Foram aprovadas também as aquisições das participações que o Citi detinha na Tecban, de até 5,64% do capital, e de 3,60% do capital na Companhia Brasileira de Securitização (Cibrasec). O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) havia aprovado a operação no dia 16 de agosto.

++Selic em queda: saiba como melhorar a rentabilidade da sua renda fixa

Em comunicado, o Itaú Unibanco informa que a liquidação financeira da compra das operações de varejo do Citi vai ocorrer em 31 de outubro, dia em que o Itaú assumirá definitivamente essas operações.

++Projeto de lei de governança financeira para os 3 Poderes está pronto, diz Padilha

++Pré-candidatos buscam agenda anticrise para disputa presidencial do ano que vem

A liquidação da aquisição do segmento pessoa física da Citibank Corretora será realizada posteriormente, em data ainda a ser definida. Os pagamentos referentes à Tecban e Cibrasec também serão feitos posteriormente, após o cumprimento de algumas condições previstas em contrato.

O Itaú Unibanco anunciou em outubro do ano passado a compra da unidade de varejo do Citibank no Brasil, desbancando o banco espanhol Santander, apontado até então como o favorito para levar o negócio.

A operação, avaliada em R$ 710 milhões, envolve toda operação de varejo do banco americano voltada a pessoas físicas da instituição, incluindo empréstimos, depósitos, cartões de crédito, agências, gestão de recursos e corretagem de seguros.

O banqueiro Roberto Setubal, dono do Itaú, cuidou pessoalmente dos detalhes da transação, apurou a reportagem na época da oferta.

Escala. A operação de varejo do Citibank conta com 71 agências e aproximadamente 315 mil clientes correntistas, com R$ 35 bilhões entre depósitos e ativos sob gestão (valores brutos na data-base de 31 de dezembro de 2015), além de 1,1 milhão de cartões de crédito e R$ 6 bilhões de carteira de crédito. Com essa aquisição, o Itaú Unibanco passa a ter R$ 1,404 trilhão em ativos.

O Citi anunciou em fevereiro de 2016 a intenção de se desfazer de suas operações de varejo no Brasil, Argentina e Colômbia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.