Banco da Espanha prevê contração de 0,4% no PIB no 2º trimestre

Demanda doméstica fraca e volatilidade nos mercados financeiros prejudicaram a economia espanhola

Danielle Chaves, da Agência Estado,

23 de julho de 2012 | 08h23

MADRI - A economia da Espanha se enfraqueceu mais durante o segundo trimestre deste ano, prejudicada por uma forte queda na demanda doméstica e pela intensa volatilidade nos mercados financeiros. Em seu relatório econômico mensal, o Banco da Espanha afirmou que estimativas preliminares indicam que o Produto Interno Bruto (PIB) espanhol teve contração de 0,4% sobre o primeiro trimestre e de 1,0% ante o segundo trimestre do ano passado.

A demanda doméstica recuou 1,2% na comparação trimestral em razão do baixo consumo das famílias e de uma queda nos gastos públicos. A previsão do Banco da Espanha para o ano de 2012 é de contração de 1,5% no PIB.

Mais ajustes

O vice-presidente do Banco da Espanha, Fernando Restoy, afirmou que a Europa precisa de mecanismos para fortalecer a união monetária e que o governo espanhol precisa fazer mais ajustes na economia para acalmar os mercados. Em discurso durante uma conferência em Madri, Restoy disse que a Espanha está implementando reformas que vão na direção certa e destacou que também foram tomadas medidas pela Europa.

No entanto, acrescentou, "está claro que mais precisa ser feito para acalmar os mercados". Restoy afirmou que o momento atual é particularmente urgente. Os custos dos empréstimos para o governo espanhol continuam aumentando e atingiram máximas recordes desde a criação do euro. O yield (retorno ao investidor) dos bônus espanhóis chegou a 7,48%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
espanhacrisepib

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.