Amanda Perobelli/Reuters
Banco do Brasil começa nova fase de programa de agronegócio para pequenos produtores rurais Amanda Perobelli/Reuters

Banco do Brasil lança etapa 2022 de programa de agronegócio para pequenos produtores

Iniciativa de assessoria itinerante deve atender 500 mil empresários do campo; instituição financeira informa ter 60% do mercado de crédito rural, com carteira de R$ 226 bilhões

Eduardo Rodrigues e Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2022 | 18h27

Brasília - O presidente do Banco do Brasil, Fausto de Andrade Ribeiro, anunciou nesta segunda-feira, 17, o lançamento da etapa de 2022 para o "Circuito de Negócios Agro" da instituição. O programa levará assessoria rural itinerante a 600 municípios em todas as regiões do País, com carretas adaptadas que funcionam como salas de aula para capacitação dos pequenos produtores. O objetivo é atender mais de 500 mil empresários do agronegócio, gerando R$ 1,5 bilhão em receitas de negócios.

Segundo Ribeiro, os grandes produtores já têm acesso a diversos recursos, como assistência técnica especializada e análise da qualidade da terra, possuem tecnologia para controlar pragas e decidir quando alternar culturas. Além disso, eles já utilizam técnicas de agricultura de baixo carbono e têm acesso a drones e imagens satélites para monitorar sua produção.

"O Circuito de Negócios vai elevar o nível de conhecimento técnico para que os pequenos possam produzir mais e se aperfeiçoarem", afirmou, em cerimônia de lançamento do programa, com a presença do presidente Jair Bolsonaro. Ribeiro destacou que os desembolsos do crédito rural têm registrado recordes sucessivos, sendo que 60% do mercado está com o Banco do Brasil, que finalizou setembro do ano passado com uma carteira de R$ 226 bilhões.

Economistas ouvidos pelo Estadão afirmam que o agronegócio deve ser o único motor da economia brasileira em 2022. Entretanto, as regiões Sul e Centro-Oeste do País já enfrentam desafios neste começo de ano. Devido a ondas de calor e secas, as regiões já perderam R$ 45 bilhões no agronegócio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Bolsonaro usa lançamento de programa do Banco do Brasil para fazer acenos ao agronegócio

'Paramos de ter grandes problemas com a questão ambiental, em especial o Ibama, reduzindo em mais de 20% as multagens no campo', disse o presidente

Daniel Weterman e Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2022 | 20h42

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro usou o discurso de um programa de capacitação de trabalhadores rurais do Banco do Brasil para fazer um aceno ao agronegócio. Segundo ele, o Executivo "praticamente anulou as ações do MST" e tirou a força do Movimento Sem-Terra do campo. O incentivo ao armamento do produtor rural e a redução de multas ambientais também foram citados. "O homem armado jamais será escravizado", disse o presidente, repetindo uma expressão usada para incentivar a flexibilização do porte e da posse de armas no País.

Ele citou nominalmente a ministra da AgriculturaTereza Cristina, e o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, que saiu do governo alvo de investigação envolvendo retirada e venda ilegal de madeira. "Paramos de ter grandes problemas com a questão ambiental, em especial o Ibama, reduzindo em mais de 20% as multagens no campo."

O programa "Circuito de Negócios Agro” levará assessoria rural itinerante a 600 municípios em todas as regiões do País, com carretas adaptadas que funcionam como salas de aula para capacitação dos pequenos produtores. O objetivo é atender mais de 500 mil empresários do campo, gerando R$ 1,5 bilhão em receitas de negócios. Segundo o presidente do BB, Fausto de Andrade Ribeiro, os grandes produtores já têm acesso a diversos recursos, como assistência técnica especializada e análise da qualidade da terra, possuem tecnologia para controlar pragas e decidir quando alternar culturas. Além disso, eles já utilizam técnicas de agricultura de baixo carbono e têm acesso a drones e imagens satélites para monitorar sua produção.

“Já o pequeno agricultor não tem como dispor desse arsenal todo e se vira como pode, com práticas mais empíricas e artesanais. O Circuito de Negócios vai elevar o nível de conhecimento técnico para que os pequenos possam produzir mais e se aperfeiçoarem”, afirmou, em cerimônia de lançamento do programa, ao lado de Bolsonaro.

Ribeiro destacou que os desembolsos do crédito rural têm registrado recordes sucessivos, sendo que 60% do mercado está com o Banco do Brasil, que finalizou setembro do ano passado com uma carteira de R$ 226 bilhões. 

Bolsonaro ainda afirmou que fará nos próximos dias uma viagem para começar a inauguração da Ferrovia Norte-Sul. "É a iniciativa privada levando um modal que estava esquecido no Brasil, o modal ferroviário", disse o presidente, afirmando que o governo tem trabalhado para fazer o transporte por ferrovias "ressurgir" e beneficiar os agricultores do País. O governo conta com novos leilões de ferrovias, entre eles o da Ferrovia Norte-Sul, já licitada. O Plano Nacional de Logística prevê que o modal ferroviário deve atingir pelo menos 30% de participação na matriz de transportes brasileira, podendo chegar a 47,2%, em 2035. Para isso,  a expansão pode necessitar de até R$ 789 bilhões em investimentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.