Banco Espírito Santo pagará quase US$ 7 milhões a Comissão dos EUA

Instituição portuguesa ofereceu serviços a cerca de 3.800 clientes, entre residentes nos EUA e imigrantes portugueses, sem se registrar devidamente

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

24 de outubro de 2011 | 18h07

O Banco Espírito Santo chegou a um acordo para pagar quase US$ 7 milhões à Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA) para arquivar acusações de que teria violado as provisões de registro para a venda de ações. O anúncio do acordo foi feito nesta segunda-feira, 24, pela SEC.

De acordo com a SEC, o banco português ofereceu, entre 2004 e 2009, serviços de corretagem e consultoria em investimentos a cerca de 3.800 clientes, entre residentes nos Estados Unidos e imigrantes portugueses, sem se registrar devidamente para a prestação dos serviços e também sem contratar uma corretora registrada como intermediária.

"As provisões de registro são as principais salvaguardas da integridade de nossos mercados de ativos e de nossas instituições financeiros", disse George S. Canellos, diretor do escritório regional da SEC em Nova York. O Banco Espírito Santo "ignorou solenemente essas provisões no decorrer de vários anos, atuando sem registro como corretor e como consultor em investimentos e oferecendo ativos a clientes nos EUA sem as autorizações exigidas por lei", prosseguiu.

O banco português não admitiu nem negou as conclusões da SEC, mas aceitou o acordo e se comprometeu a não reincidir nas violações. O Banco Espírito Santo também aceitou pagar uma taxa mínima de juro a clientes nos EUA que compraram ativos por intermédio da instituição.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
banco espírito santoseceua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.