Banco Espírito Santo passa a deter 10,93% da Unipar

O banco português Espírito Santo passou a deter indiretamente uma fatia de 10,93% do capital ordinário da Unipar Participações, companhia que possui investimentos nos setores químico e petroquímico no Brasil. A operação se deu por meio da controladora da Unipar, a Vila Velha Administração e Participações.

AE, Agencia Estado

07 de janeiro de 2011 | 09h24

A Columba International, subsidiária da Espírito Santo Resources Limited, adquiriu a totalidade das ações ordinárias (19,08%) e preferenciais (22,19%) da Vila Velha que estavam com a Odebrecht. Assim, conforme comunicado da Unipar, com a operação a Columba passa a deter 19,08% das ações ON e 21,10% do capital social da Vila Velha e, por meio dessa empresa, a subsidiária do banco português fica com participação indireta na Unipar.

O grupo Odebrecht é controlador da Braskem, petroquímica que, por sua vez, no ano passado anunciou a aquisição da totalidade das participações societárias da Unipar detidas na Quattor (correspondente a 60% do capital total e votante), na Unipar Comercial e Distribuidora (100% do capital votante e total) e na Polibutenos (33,33% do capital votante e total). A Quattor havia sido criada em 2008 a partir da união de ativos petroquímicos da Unipar e da Petrobras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.