Banco Panamericano admite que negocia venda

O Banco Panamericano admitiu, em fato relevante divulgado hoje ao mercado, que tem mantido entendimentos, na última semana, sobre uma possível negociação envolvendo a empresa e outras instituições financeiras. Segundo o banco, até o momento não há "nenhum acordo formalizado". Por isso, não é possível "assegurar que as negociações resultarão na celebração de qualquer tipo de negócio jurídico ou afirmação de configuração de uma efetiva negociação".

ALTAMIRO SILVA JUNIOR, Agencia Estado

28 de janeiro de 2011 | 12h41

No mercado, circulam rumores de que Bradesco, Santander, BTG Pactual e Banco Safra teriam interesse na compra do Panamericano. Além deles, um banco estrangeiro, que ainda não opera no Brasil, enviou um representante ao País para analisar os ativos do banco de Sílvio Santos.

Em relação aos ajustes necessários nas demonstrações financeiras sobre o aporte de R$ 2,5 bilhões, o banco informa que, por não ter concluído os trabalhos de auditoria externa, não identificou ainda de forma definitiva o valor das "inconsistências contábeis" informadas anteriormente. O banco promete divulgar na próxima semana estas informações, segundo o fato relevante.

O balanço do Panamericano está previsto para sair na segunda-feira, dia 31. O banco deve divulgar os dados do terceiro trimestre de 2010 e ainda os números relativos às operações nos meses de outubro e novembro do ano passado.

Hoje, foi publicado em jornais que haveria um rombo extra de R$ 1,5 bilhão no balanço do banco, provocado por problemas na contabilização de provisões para devedores duvidosos. Com isso, o total do prejuízo chegaria a R$ 4 bilhões. Uma das soluções para cobrir o novo rombo seria justamente a venda do banco para outra instituição financeira.

Tudo o que sabemos sobre:
bancoPanamericanoSilvio Santosvenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.