Bancos alemães rechaçam maior fatia de pacote grego

Para o chefe da federação de bancos da Alemanha, crise pode ser superada com a restauração da confiança nos políticos da zona do euro

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

28 de setembro de 2011 | 14h05

Os bancos da Alemanha se opõem a arcar com uma parcela maior no segundo pacote de ajuda para a Grécia. A informação é do chefe da federação de bancos alemães, Andreas Schmitz, dada em uma entrevista ao jornal alemão Bild. "Não entendo tal debate neste momento de crise", disse Schmitz.

O segundo pacote de ajuda à Grécia, fechado por líderes europeus em uma reunião em 21 de julho, envolve a redução no valor da dívida grega mantida por credores privados. Os prolongados temores em relação ao quadro do país levaram à especulação de que a parcela imposta ao setor privado pode ser elevada.

"A crise pode apenas ser superada se conseguirmos restaurar a confiança nos políticos", disse Schmitz ao jornal. "Se os governos agora desdobram a participação já acordada dos credores do setor privado, eles farão exatamente o contrário", argumentou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bancosGréciapacote

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.