Bancos britânicos passaram nos testes

O Barclays, o HSBC, o Royal Bank of Scotland (RBS) e o Lloyds participaram e resistiram

Álvaro Campos, da Agência Estado,

23 de julho de 2010 | 14h04

Os quatro bancos do Reino Unido que participaram dos testes de estresse da União Europeia sobre seus balanços patrimoniais foram aprovados, segundo a Autoridade de Serviços Financeiros (FSA, na sigla em inglês).

O Barclays, o HSBC, o Royal Bank of Scotland (RBS) e o Lloyds teriam no dia 31 de dezembro de 2011 uma taxa de capital Tier 1 acima de 9% no pior cenário analisado, que entre outros critérios avaliou a resistência dos bancos a um grave choque nas dívidas soberanas e uma recessão neste ano e no próximo. O mínimo necessário para os bancos passarem nos testes era uma taxa de capital Tier 1 de 6%.

No cenário mais rígido - cuja probabilidade de se tornar realidade foi estimada em menos de 5% - o HSBC teria uma taxa de capital Tier 1 de 10,2%, abaixo da taxa de 10,8% que o banco registrou no fim de 2009, mas ainda assim bem acima do mínimo de 6% estabelecido.

As autoridades reguladoras da UE disseram que o índice de 6% é o mesmo usado nos testes de estresse dos EUA. Atualmente, a regulação europeia exige uma taxa mínima de 4%.

O Barclays teria uma taxa de capital de 13,7% no fim de 2011, de 13% registrado em 2009. O RBS veria sua taxa Tier 1 cair para 11,2%, de 14,4% em 2009. O Lloyds recuaria para 9,2%, de 9,6% no ano passado. O banco Standard Chartered não participou dos testes, embora uma pessoa próxima a questão tenha dito que a instituição sempre realiza suas próprias avaliações.

"O teste do Comitê de Supervisores Bancários da União Europeia mostrou que os bancos do Reino Unido estão bem posicionados para lidar com períodos de estresse econômico no futuro, se tais estresses acontecerem", a FAS disse em um comunicado.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.