Bancos dos EUA reembolsarão até US$ 68 bi ao Tesouro

Sete instituições já receberam autorização para efetuar restituição, incluindo o JPMorgan

Marcílio Souza, da Agência Estado,

09 de junho de 2009 | 11h49

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos informou que dez dos maiores bancos do país cumpriram as exigências necessárias para pagar de volta os recursos recebidos do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp) - um dos mecanismos de ajuda no pacote econômico do governo americano contra a crise. Os reembolsos podem chegar a US$ 68 bilhões.

 

Morgan Stanley, U.S. Bancorp, Capital One Financial, BB&T, Northern Trust Corporation, Bank of New York Mellon e JPMorgan são sete das instituições que receberam aprovação para reembolsar a ajuda do governo. "Esses pagamentos são um sinal animador de melhora financeira, mas ainda temos muito trabalho a fazer", disse o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, em comunicado.

O Tesouro afirmou que esse anúncio de reembolso se segue a um período no qual muitos bancos levantaram capital de maneira bem-sucedida junto a investidores privados. Além disso, segundo o Tesouro, os bancos emitiram títulos de dívida de longo prazo não garantidos pelo governo pela primeira vez depois de muitos meses.

 

Grandes bancos vinham anunciando que estavam ansiosos por honrar os empréstimos do governo, por causa das restrições sobre dividendos e pagamentos aos executivos que são impostas pelo Tarp.

Desde outubro, o Tesouro já injetou cerca de US$ 200 bilhões em mais de 500 pequenos e grandes bancos dos EUA. Vinte e dois deles já tomaram iniciativas de reembolso, mas essas devoluções vieram principalmente de bancos pequenos e somaram menos de US$ 2 bilhões. As informações são da Dow Jones.

 

Instituições

 

Cada um dos bancos que anunciaram a restituição reembolsará um valor diferente. O JPMorgan Chase vai devolver completamente os US$ 25 bilhões de investimento recebido por meio do Tarp. O Northern Trust Corporation vai recomprar US$ 1,576 bilhão em ações preferenciais. O Bank of New York Mellon levantou US$ 2,9 bilhões para honrar os US$ 3 bilhões em investimento recebido pelo Tarp.

 

O BB&T vai pagar US$ 3,13 bilhões para resgatar as ações preferenciais compradas pelo Tesouro. O grupo registrará um encargo de US$ 48 milhões no segundo trimestre para fazer frente à diferença entre o custo amortizado da ação preferencial e o preço de recompra.

 

"Essa é uma conquista importante para o BB&T," disse seu executivo-chefe, Kelly S. King. "A devolução do aporte do governo nos dará maior flexibilidade para aproveitar oportunidades futuras que estarão disponíveis à medida que saímos da recessão. Além disso, vamos nos focar ainda mais no atendimento aos clientes", disse ele.

 

O U.S. Bancorp prevê um encargo combinado de US$ 0,15 por ação com a recompra de US$ 6,6 bilhões em papéis preferenciais adquiridos pelo Tesouro. O Morgan Stanley recebeu um aporte de US$ 10 bilhões. Em comunicado, o banco disse que o pagamento dessa quantia "reflete tanto sua posição sólida quanto o papel sistêmico importante que o Tarp exerceu para ajudar a estabilizar o sistema bancário dos EUA desde o auge da crise financeira."

 

O Capital One disse esperar honrar US$ 3,55 bilhões em recursos recebidos do governo "nas próximas semanas".

Tudo o que sabemos sobre:
EUATesourobancosTarp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.