Bancos est?o mais otimistas em rela??o a 2007

Pesquisa da Febraban mostra melhora nas expectativas para todos os indicadores econ?micos, exceto infla??o

C?lia Froufe, da Ag?ncia Estado,

31 de julho de 2007 | 15h32

Os representantes de bancos est?o mais otimistas em rela??o aos dados da economia brasileira para este ano, segundo revelou levantamento realizado pela Federa??o Brasileira de Bancos (Febraban), com base em 43 institui??es financeiras. Para se ter uma id?ia, a expectativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano foi revisada de 4,27%, na pesquisa anterior de junho, para 4,55%. ?"Essa expectativa e a sua abertura mostram que o ciclo de expans?o ? bastante longo e verificamos que quanto mais o tempo passa, mais se v? que a expans?o da economia est? relacionada com investimentos e n?o ? s? baseada em um consumo desenfreado", avaliou o economista-chefe da Febraban, Nicola Tingas.?Al?m disso, eles prev?em um crescimento da Forma??o Bruta de Capital Fixo (FBCF) - ou investimentos - de 9,55% este ano, ante 8,70% do levantamento anterior. As proje??es para o investimento estrangeiro direto (IED) tamb?m subiram e passaram de uma m?dia US$ 20,40 bilh?es para US$ 26,98 bilh?es. ?Para as reservas internacionais, a estimativa m?dia de 2007 aumentou de US$ 154,48 bilh?es para US$ 170,83 bilh?es. No caso do c?mbio, houve uma redu??o da proje??o da taxa m?dia ao final deste ano de R$ 1,94 para R$ 1,88.?Infla??o?A ?nica exce??o em rela??o ao otimismo dos bancos para este ano ? a infla??o. A proje??o m?dia para o ?ndice de Pre?os ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2007 subiu de 3,60% para 3,66%. Apesar da eleva??o, Tingasafirmou que n?o h? preocupa??o em rela??o ao n?vel de pre?os porque o porcentual esperado est? abaixo da meta de 4,5%, perseguida pelo Banco Central. "Vemos que o crescimento da atividade ? benigno e sem efeitos sobre a infla??o, o que permite a redu??o maior dos juros", defendeu. ?Para a taxa b?sica de juros, a Selic (atualmente em 11,5% ao ano), os bancos mantiveram a proje??o de que o Copom determinar? mais tr?s cortes de 0,25 ponto porcentual at? o final do ano. No entanto, o n?mero de economistas que contam com uma redu??o de 0,25 pp em setembro aumentou de 58% para 71%. ?De acordo com Tingas, o placar mais apertado da ?ltima decis?o do Copom, quando tr?s diretores voltaram pela redu??o de 0,25, enquanto 4 escolheram a redu??o de 0,50 ponto porcentual - foi um dos fatores que colaboraram para o aumento desse porcentual, na compara??o com o levantamento realizado em junho. ?Para 2008, a proje??o com maior n?mero de incid?ncias ? de que a Selic fechar? em 9,75%, com redu??o, portanto, de 1 ponto porcentual no decorrer das oito reuni?es do Copom em 2008.?D?lar?Ainda segundo a pesquisa da Febraban, a taxa de c?mbio continuar? em desacelera??o at? setembro, mas mostrar? um pequeno repique ao final do ano. ?De acordo com os economistas, o d?lar fechar? o m?s, que termina nesta ter?a-feira, em R$ 1,85, ceder? para R$ 1,82 em setembro, passar? para R$ 1,83 em outubro, e encerrar? 2007 em R$ 1,88. Para dezembro de 2008, a proje??o m?dia dos bancos ? de uma cota??o em R$ 1,92.?

Tudo o que sabemos sobre:
ExpectativasFebrabanbancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.