Banrisul obtém certificação de transações com cartão

O Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) deu mais um passo para reforçar o seu braço de adquirência, que credencia lojistas para a captura de transações com cartões, ao conquistar a certificação global PCI (Payment Card Industry - Data Security Standards). Este selo possibilita à instituição alinhar-se aos padrões mundiais de segurança no âmbito das exigências de bandeiras como Visa e MasterCard.

ALINE BRONZATI, Agencia Estado

20 de agosto de 2013 | 17h57

A conquista da certificação durou menos de um ano, conforme superintendente de Segurança da Tecnologia da Informação do Banrisul, Jorge Krug, e traz benefícios não só para os clientes que utilizam a rede de adquirência do banco, a Banricompras, mas também para os lojistas credenciados. Para obtê-la, a instituição investiu mais de 15 mil horas de trabalho em uma iniciativa que reuniu cerca de 130 profissionais e na qual foram executados 38 projetos internos no âmbito de nove unidades do Banrisul.

"Atualmente, capturamos 12 milhões de transações com cartões por mês e o ritmo de crescimento deste número é expressivo. Com a certificação PCI, pretendemos ampliá-lo, aproveitando que a rede de pontos credenciados também está crescendo", disse ele, sem revelar números e o tamanho do investimento feito.

A rede de adquirência do Banrisul, que em junho alcançou a marca de 128 mil estabelecimentos credenciados, já ultrapassou o patamar de 130 mil pontos, conforme Krug. O objetivo da rede é, segundo o executivo, expandir o número de lojistas para outros Estados além do Rio Grande do Sul, como por exemplo, Santa Catarina. Nos sete meses de 2013 até julho, a Banricompras processou 75 milhões de transações.

O PCI é uma norma de segurança criada em 2004 e que regulamenta as boas práticas no uso, manuseio e armazenagem de dados de cartão de crédito. As maiores credenciadoras de lojistas do Brasil, tais como Cielo e Redecard, já possuem o selo.

Tudo o que sabemos sobre:
Banrisulcertificaçãocartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.