Banrisul reduz projeção para o crédito do banco em 2013

O Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) informou nesta segunda-feira, 12, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, revisões nas projeções de desempenho (guidance) em 2013. A carteira de crédito total da instituição deve crescer no mínimo 11% e no máximo 16% e não mais de 15% a 20% como projetado anteriormente.

ALINE BRONZATI, Agencia Estado

12 de agosto de 2013 | 09h48

A expectativa para o crescimento dos empréstimos na pessoa jurídica foi a que sofreu maior redução, passando de um intervalo de 18% a 22% para uma alta de 4% a 8%. Na carteira pessoa física, porém, o Banrisul espera emprestar mais. O banco projeta aumento de 12% a 17% ante intervalo de 10% a 15%.

Para a compra de imóveis, o Banrisul espera que seus empréstimos aumentem de 15% a 20% neste ano contra intervalo de aumento de 12% a 17% projetado inicialmente. "As metas de crescimento para o crédito projetadas para o ano em curso foram revisadas, em linha com o movimento de desaceleração do crescimento observado em termos de mercado, ainda que as linhas de crédito especializado estejam apresentando desempenho acima do esperado, razão pela qual o intervalo de crescimento no crédito imobiliário teve seus limites elevados", justifica o banco, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras.

Em relação às despesas com provisões para devedores duvidosos, as chamadas PDDs, o Banrisul decidiu manter seu guidance para 2013, com alta de 3% a 4%. Para o saldo desses gastos, a projeção também foi mantida em crescimento de 6% a 8%.

A Rentabilidade sobre o Patrimônio Líquido Médio do Banrisul deve encerrar 2013 entre 15% e 19% e não mais entre 16% e 20% como projetado inicialmente. O banco também revisou suas expectativas para o índice de eficiência. A projeção atual é de que o indicador encerre 2013 entre 47% e 51% ante guidance inicial de 45% a 49%.

A margem financeira líquida sobre ativos rentáveis do Banrisul deve ficar entre 8% e 9% em 2013 e não mais de 9% a 10%. Para captação total e depósitos a prazo, a instituição manteve seus guidances. O Banco espera intervalos de aumentos de 13% a 18% e 18% a 23%, respectivamente.

"Os intervalos representativos das estimativas esperadas para os indicadores de performance, retorno sobre patrimônio líquido médio, eficiência e margem sobre ativos rentáveis, foram ajustados, visto o movimento de desaceleração das receitas decorrente da redução do ritmo de crescimento das concessões e do movimento de redução de taxas e de spreads, ainda que a reversão da trajetória da taxa básica de juros deva afetar os preços praticados no segundo semestre do ano", justifica o Banrisul.

Tudo o que sabemos sobre:
Banrisulbalançocrédito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.