Basf eleva em 25% meta de vendas para 2020, para US$154 bi

A companhia alemã de produtos químicos Basf aumentou em 25 por cento a previsão de vendas para 2020, para 115 bilhões de euros (154 bilhões de dólares), apostando que a população crescente dos mercados emergentes comandará a demanda.

REUTERS

29 de novembro de 2011 | 11h42

A Basf, maior companhia de produtos químicos do mundo em vendas, prevê que o Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) atingirá 23 bilhões de euros até 2020, ajudada por corte de custos e vendas maiores nos mercados emergentes.

A companhia espera um Ebitda de 15 bilhões de euros em 2015, acima dos 11,1 bilhões de dólares do ano passado. A meta anterior para as vendas de 2020 era de 90 bilhões de euros.

A longo prazo, os mercados emergentes devem responder por 45 por cento das vendas nos negócios principais de produtos químicos e plásticos, excluindo as unidades de petróleo e gás, acima dos cerca de 30 por cento do ano passado.

"Nós já temos posição de liderança e negócios com rápido crescimento nos mercados emergentes, e isso é uma coisa em que apostaremos", afirmou o presidente-executivo Kurt Bock.

O grupo espera que o volume da produção da indústria química aumente 4 por cento e que a Basf crescerá mais 2 pontos percentuais do que isso.

(Por Ludwig Burger)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASTECHPREVISAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.