Basf vende operação de poliestireno no país para Unigel

O grupo químico alemão Basf anunciou nesta terça-feira que vendeu uma unidade de plásticos no Brasil para uma empresa do grupo nacional Unigel, por valor não revelado.

REUTERS

15 de setembro de 2009 | 13h22

A Basf informou que concordou em vender suas operações brasileiras de poliestireno, incluindo uma fábrica, para a petroquímica Companhia Brasileira de Estireno (CBE), uma subsidiária da Unigel.

A unidade fabril está situada em São José dos Campos (SP) e tem capacidade produtiva de 190 mil toneladas anuais.

O poliestireno é um plástico usado nos setores de embalagens, eletrodomésticos, produtos eletrônicos e equipamentos para escritórios. Também é utilizado em construção civil e isolamento térmico.

Em comunicado, a CBE informou apenas que "financiou integralmente a aquisição por meio de uma troca de ações com outra empresa do setor".

A companhia alemã vinha tentando vender suas unidades de estireno e copolímeros --plásticos que são utilizados em embalagens, peças de automóveis, produtos eletrônicos e equipamentos para escritórios --desde julho de 2007.

Planos de posicionar esses negócios "fora do grupo Basf no longo prazo" seguem inalterados, acrescentou a companhia.

A Basf disse anteriormente que as unidades não conseguiriam bater concorrentes no longo prazo e que poderiam ser transformadas em joint-ventures.

A empresa alemã, maior fabricante mundial de produtos químicos por vendas, afirmou em fevereiro que também estava considerando a venda de sua unidade de químicos para indústria têxtil ou ainda transformá-la em joint-venture.

A CBE é uma das principais produtoras de monômero de estireno do Brasil, com capacidade para produzir 120.000 toneladas anuais.

(Por Ludwig Burger em Frankfurt com reportagem adicional de Stella Fontes em São Paulo)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASBASFESTIRENO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.