BB anunciará aquisição nos EUA até o fim de fevereiro

Banco norte-americano está localizado na costa leste do país; BB tem interesse na plataforma de serviços e na solução tecnológica da instituição que será comprada

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

25 de janeiro de 2011 | 18h29

Até o fim de fevereiro, o Banco do Brasil (BB) deve anunciar a aquisição de um banco norte-americano localizado na costa leste dos Estados Unidos, segundo informou nesta terça-feira, 25, o presidente da instituição, Aldemir Bendine. Durante inauguração da primeira agência do BB no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, o executivo lembrou que o banco já havia anunciado a intenção de realizar essa aquisição. Ele não quis dizer o nome da instituição nem o Estado norte-americano em que ela se localiza. "Por enquanto, vamos dizer que está localizado mesmo na costa leste dos Estados Unidos", declarou.

Bendine informou que, no caso específico dessa aquisição em solo norte-americano, o BB tem interesse na plataforma de serviços e na solução tecnológica do banco que será comprado. Ele preferiu não mencionar valores sobre quanto o BB gastaria nessa aquisição. "O valor não é muito alto. Temos recursos para fazer as aquisições que queremos", disse.

Sobre aquisições na América Latina, o executivo reiterou que o BB continua de olho em oportunidades, mas não quis dizer em quais países estariam localizadas as instituições bancárias mais interessantes para a internacionalização do banco brasileiro. O BB está presente atualmente em 23 países.

No mesmo evento, Bendine voltou a falar sobre os investimentos de R$ 1 bilhão para 600 novas agências no País em 2011, bem como sobre as reformas de 800 pontos de atendimento. Atualmente, o BB possui cerca de 5 mil agências em todo o País.

Cartões

A bandeira Elo - uma parceria entre BB, Bradesco e Caixa Econômica Federal no segmento de cartões de crédito, voltada para as classes C, D e E - deve estar em pleno funcionamento até o fim do primeiro trimestre deste ano.

No evento no Rio, Bendine informou que os primeiros testes para a nova bandeira já foram realizados e foram positivos. Quando questionado sobre previsões de movimentação de recursos para a nova bandeira, Bendine preferiu não mencionar valores. "O nosso objetivo é que, em cinco anos, tenhamos em torno de 15% deste mercado (entre as famílias de menor poder aquisitivo)", declarou.

Bendine comentou ainda sobre o interesse do consumidor brasileiro no financiamento imobiliário. Ele lembrou que o BB é novo nesse mercado, tendo entrado somente há dois anos na oferta de crédito imobiliário. "Não temos ainda a experiência da Caixa Econômica Federal que está há muito tempo neste negócio e detém mais de 70% do mercado de crédito imobiliário", disse. No entanto, ele afirmou que somente para crédito imobiliário o BB tem disponíveis em torno de R$ 3 bilhões, com possibilidade de atingir R$ 6 bilhões até o fim deste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
bancoBBcompraaquisiçãoEUAcartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.