BB aprova nova taxa de remuneração do crédito de custeio para café

Costa do Sauípe, 18 - O Banco do Brasil (BB) aceitou as condições de remuneração para contratar os financiamentos de custeio da safra de café 2005/06, com recursos do Funcafé. A informação é do secretário de Produção e Comercialização, Linneu da Costa Lima, do Ministério da Agricultura. A taxa de juros dos financiamentos do Funcafé é de 9,5% ao ano. Até o ano passado, o agente financeiro ficava com uma comissão de 5,5% e o restante (4%) voltava para o Funcafé. A partir deste ano, a comissão dos bancos passou para 4,5% e 5% retorna ao Funcafé. O Banco do Brasil argumentava que 4,5% não era suficiente para cobrir os custos. O crédito de custeio já foi liberado pelo governo e está à disposição dos produtores. O limite de custeio por produtor é de R$ 140 mil, ante R$ 100 mil até o ano passado.O prazo para contratação, se não houver prorrogação, vai até 31 de dezembro. Foram liberados cerca de R$ 350 milhões, dos quais R$ 50 milhões foram destinados ao Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Do total liberado, até R$ 100 milhões foram direcionados ao Banco do Brasil; R$ 85 milhões para o Bancoop; R$ 40 milhões para o Banespa; R$ 25 milhões para o Banestes; R$ 20 milhões para o Itaú/BBA; R$ 10 milhões para Itaú S/A, R$ 10 milhões para Bradesco e R$ 10 milhões para Santander, além de R$ 7 milhões para Unibanco e R$ 5 milhões para Credivar. A oferta total é de R$ 312 milhões, mas o governo tem autorização para liberar apenas os R$ 300 milhões, que nem sempre é todo tomado pelo produtor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.