Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

BB adere à campanha do Sebrae de renegociação de dívidas para PMEs

Renegociação é destinada a empresas de pequeno porte com financiamentos em atraso, incluindo com o Fundo de Aval do Sebrae (Fampe); prazo para pagamento é de até 96 meses

Matheus Piovesana, O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2022 | 14h21

O Banco do Brasil participará de campanha do Sebrae para a renegociação de dívidas em atraso de pequenos empresários e microempreendedores. Além do banco estatal, participam também Caixa Econômica Federal (CEF), Serasa, Original, Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e outras instituições de fomento.

A campanha é destinada a empreendedores que tenham empréstimos com parcelas em atraso vinculados ao Fundo de Aval do Sebrae (Fampe), além de outros empréstimos e financiamentos que estejam em atraso.

No BB, são cerca de 2,8 milhões de clientes PME, segundo dados da instituição. Desde o começo da pandemia, o banco desembolsou cerca de R$ 200 bilhões para este público. A instituição vai renegociar as parcelas de clientes do segmento com faturamento bruto anual de até R$ 4,8 milhões, e dívidas vencidas há mais de 15 dias.

Estão no pacote de renegociações operações como capital de giro, cheque especial, cartão de crédito, recebíveis e financiamento de ativos fixos. O saldo devedor poderá ser renegociado em até 96 meses, com taxas a partir de TR + 1% ao mês. O banco também oferecerá rebate de até 92% para dívidas vencidas há mais de 60 dias.

Controlando a inadimplência

Segundo cálculo da instituição, 335 mil clientes de sua carteira têm operações elegíveis para a renegociação da campanha, sendo que 27 mil destes possuem operações com amparo do Fampe.

De acordo com o vice-presidente corporativo do banco, Ênio Mathias, a qualidade de crédito da carteira do BB é um destaque, assim como a capitalização do banco.

"Nosso índice de inadimplência acima de 90 dias está em 1,89%, permanecendo inferior ao registrado pelo Sistema Financeiro Nacional. Além do apoio para quem precisar renegociar, destaco que temos mais de R$ 210 bilhões para emprestar aos nossos clientes micro e pequenas empresas em créditos pré-aprovados para capital de giro e investimento", disse ele, em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.