BB lança empresa de remessa financeira nos Estados Unidos

Instituição financeira visa atender os cerca de 1,4 milhão de brasileiros que residem no território americano

Michelly Chaves Teixeira, da Agência Estado,

31 de agosto de 2009 | 13h07

O Banco do Brasil está iniciando suas operações de varejo bancário nos Estados Unidos, com a criação da BB Money Transfers Inc, subsidiária que tem por objetivo principal fazer as remessas financeiras de brasileiros residentes naquele país.

 

Com a BB Money Transfers, que recebeu investimento de US$ 1,2 milhão para começar a operar, o banco está de olho em um público estimado em 1,4 milhão de brasileiros residentes nos EUA, dos quais cerca de 70% mandam dinheiro para o Brasil, afirmou nesta segunda-feira, 31, o vice-presidente de Negócios Internacionais e Atacado do BB, Allan Toledo.

 

O serviço de remessas financeiras lançado nesta segunda-feira, que disponibiliza crédito imediato na conta do beneficiário, ficará focado principalmente na costa leste dos EUA, onde a concentração de brasileiros é maior. Quem não é correntista também pode usar o serviço, mas, neste caso, o beneficiário retira o dinheiro em qualquer agência do BB no Brasil. A instituição começa com 10 empresas credenciadas ao novo sistema, negocia a inclusão de outras 25 companhias e prevê, até o fim de junho de 2010, habilitar 100 estabelecimentos a realizar tais operações.

 

Conforme Toledo, a ideia é incrementar o número de ordens de pagamento vindas dos EUA em algo entre 500 mil e 600 mil já em 2010 - hoje, o BB recebe anualmente daquele país, por meio de uma parceria com o Western Union, cerca de 1 milhão de ordens. A expectativa do BB é de gerar, no ano que vem, uma receita de US$ 6 milhões com este serviço. De acordo com o diretor Internacional do BB, Adimilson Garcia, a parceria com a instituição financeira continua, apesar do lançamento de empresa própria de remessas financeiras. É que o acerto do BB como Western Union ocorre em escala global, não só nos EUA.

 

Como afirmou Toledo, o lançamento do serviço de remessas financeiras via BB Money Transfers é prioritário nos EUA, onde a concentração de brasileiros é maior. Em outros países onde há muitos residentes brasileiros, como Itália, Japão e Portugal, o BB tem serviços semelhantes, mas estes não têm a vantagem da disponibilidade imediata dos recursos.

 

BB também trabalha para abrir agências de varejo nos EUA

O Banco do Brasil também trabalhará na oferta de serviços financeiros básicos ao varejo, como depósitos, investimentos e cartões de crédito para brasileiros e latino-americanos que lá residem. Toledo espera que o Federal Reserve (Fed) autorize a instituição financeira a oferecer estes serviços ainda neste semestre.

 

A ideia é começar com algo entre cinco e dez agências para o varejo já em 2010. O investimento nas operações bancárias para pessoas físicas nos EUA é estimado em US$ 40 milhões. Como explicou o coordenador das operações do BB na América do Norte, Leandro Martins, estas agências estarão concentradas em áreas onde estão 60% dos 1,4 milhão brasileiros que residem naquele país, a maioria na costa leste dos EUA.

 

Para cumprir o objetivo de oferecer produtos de varejo para pessoas físicas o BB não descarta comprar bancos que operem em localidades com grande concentração de brasileiros. "De 2008 para cá o cenário de aquisição mudou muito: há muitos bancos pequenos nos EUA, mas para nos interessar eles devem estar nas localidades onde estão nosso público-alvo", afirmou Toledo, ressaltando que não há nenhuma negociação em curso neste momento.

Tudo o que sabemos sobre:
Banco do BrasilremessaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.