BB lidera captação da indústria de fundos com R$ 26,5 bi

Segundo Anbima, a indústria total somou captação líquida positiva de R$ 78,2 bilhões ao longo de 2011 até novembro

Aline Bronzati, da Agência Estado,

20 de dezembro de 2011 | 11h34

A gestora de recursos do Banco do Brasil (BB DTVM) liderou o ranking de captação na indústria de fundos em 2011 até novembro, ao levantar R$ 26,5 bilhões no período. O patrimônio líquido das carteiras administradas pela asset somou R$ 410,1 bilhões. Porém, no mês de novembro, a captação líquida dos fundos ficou negativa em R$ 2,9 bilhões, conforme dados divulgados pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

No total, a indústria somou captação líquida positiva de R$ 78,2 bilhões ao longo de 2011 até novembro, somando fundos de investimento e estruturados/off-shore. O montante é 46% menor que o levantado em igual intervalo de 2010, quando foram registrados R$ 114,3 bilhões, segundo boletim da Anbima. O patrimônio da indústria de fundos chegou a R$ 1,9 trilhão até novembro.

O segundo posto do ranking de captação foi ocupado pelo Itaú Unibanco, que levantou R$ 13,2 bilhões em recursos no acumulado de 2011. Retirando o saldo negativo dos fundos estruturados/off-shore, de R$ 7,3 bilhões, a cifra sobe para R$ 20,5 bilhões. O patrimônio dos fundos está em R$ 266 bilhões em 2011. Apenas em novembro, a gestora totalizou captação de R$ 21,5 bilhões.

Já a gestora do Bradesco não se destacou em captação, com saldo de apenas R$ 1,6 bilhão em 2011 até novembro, mas os seus fundos representam o terceiro maior patrimônio da indústria, com R$ 200,6 bilhões. Enquanto isso, a asset da Caixa Econômica Federal responde pela terceira maior captação da indústria de fundos, ao levantar R$ 12 bilhões até novembro de 2011. O patrimônio líquido dos fundos foi de R$ 126,5 bilhões.

O Citibank veio em seguida com captação líquida positiva de R$ 10,3 bilhões. Em termos de patrimônio, segundo ranking da Anbima, a gestora totalizou R$ 57,4 bilhões. As assets do BTG Pactual e do HSBC ocuparam a quarta e quinta colocação, com captação líquida positiva de R$ 6,4 bilhões e R$ 4,7 bilhões, respectivamente. Os fundos totalizaram patrimônio de R$ 94,5 bilhões e R$ 90,9 bilhões, nesta ordem.

No quesito captação, as gestoras de recursos dos bancos Santander e Credit Suisse deixaram a desejar. Ambas apresentam saldo negativo de R$ 5,6 bilhões e de R$ 4 bilhões até novembro deste ano. O patrimônio das carteiras da asset do Santander atingiu R$ 118,4 bilhões e a do Credit, R$ 5 bilhões no período de referência. 

Tudo o que sabemos sobre:
Banco do BrasilfundosAnbima

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.