BBVA reduz lucro no 2º trimestre, mas bate previsões

O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA) informou hoje que seu lucro líquido no segundo trimestre caiu 7,6%, prejudicado pela fragilidade no mercado imobiliário na Espanha, enquanto os gastos subiram, devido à expansão no exterior.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

28 de julho de 2011 | 11h59

Segundo maior banco espanhol em termos de ativos, o BBVA teve lucro de 1,19 bilhão de euros (US$ 1,702 bilhão) no segundo trimestre, ante 1,29 bilhão de euros no mesmo período do ano passado. O dado superou as estimativas dos analistas, que esperavam lucro de 1,1 bilhão de euros.

A receita líquida com juros caiu 9,5%, para 3,22 bilhões de euros. As receitas com taxas tiveram leve alta, para 1,17 bilhão de euros. Já os gastos subiram 9,6%, para 2,48 bilhões de euros. O banco está contratando funcionários no exterior, instalando caixas automáticos e aprimorando sua infraestrutura de tecnologia, na esperança de aumentar sua participação de mercado.

Analistas dizem que os resultados parecem mais robustos do que os do Santander, também divulgados esta semana. O diretor operacional Angel Cano disse que o banco acredita que o volume de crédito vai diminuir na Espanha nos próximos dois anos, com consumidores e empresas tentando evitar novas dívidas. Já o lucro na América do Sul aumentou 14%, para 249 milhões de euros, com um avanço de 13% nos empréstimos.

O conjunto de empréstimos non-performing (aqueles cujos pagamentos de juros estão em atraso e a coleta do principal é incerta) no grupo subiu para 15,79 bilhões de euros no fim de junho, de 15,53 bilhões de euros em março, e representava 4% do portfólio de empréstimos do banco. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BBVAmercado imobiliárioEspanhabanco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.