BC aprova aquisição de parte do Banco Panamericano pela Caixapar

 A partir de agora, a instituição federal passa a participar da administração da financeira do grupo Silvio Santos

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

20 de julho de 2010 | 16h02

O Banco Central aprovou a aquisição de 49% do capital do Banco Panamericano pela Caixapar, subsidiária da Caixa Econômica Federal. O aval da autoridade monetária era a última etapa para a conclusão do negócio. A partir de agora, a instituição federal passa a participar da administração da financeira do grupo Silvio Santos.

Em nota distribuída à imprensa, a presidente da Caixa, Maria Fernanda Coelho, afirma que o início da gestão compartilhada vai permitir tirar proveito da sinergia entre as duas empresas, o que possibilitará às duas companhias expandir suas atividades.

Para a Caixa, será possível ingressar no segmento de leasing e ganhar mercado no financiamento de veículos. Também devem ser oferecidos produtos da Caixa aos clientes Panamericano, como conta corrente e cheque especial. Na financeira, deve ser oferecido crédito imobiliário da Caixa para clientes de menor renda. Há expectativa de que o banco de Silvio Santos possa gerar até R$ 5 bilhões em empréstimos nesse setor pelos próximos cinco anos.

Outro ponto positivo deve ser a possível melhora do rating do Panamericano, o que reduziria o custo de captação do banco no mercado. Se isso ocorrer, prevê o presidente do Grupo Silvio Santos, Luiz Sebastião Sandoval, o Panamericano pretende ingressar mais agressivamente no financiamento de carros novos. Outro projeto conjunto é oferecer leasing de equipamentos agrícolas e industriais para pequenas e médias empresas via Caixa. 

Conselho de Administração

A gestão do Banco Panamericano será compartilhada entre o Grupo Silvio Santos, que tem 51% do capital, e a Caixa Econômica Federal, que possui os 49% restantes, com número idêntico de cadeiras no conselho de administração para cada um dos sócios. A presidência também muda e passará a ser rotativa, com indicações intercaladas entre o banco federal e a financeira do Grupo Silvio Santos. O primeiro nome será Maria Fernanda Coelho, que acumulará a presidência da Caixa. As informações foram dadas pelo presidente da Caixapar, Marcio Percival, à Agência Estado.

O executivo informou que o conselho de administração do Panamericano terá 11 nomes, sendo um presidente, cinco indicados pelo Grupo Silvio Santos e cinco da Caixa. A presidência do conselho será rotativa e os indicados ficarão no cargo por um ano. Na nova gestão compartilhada, todas as decisões só serão tomadas quando houver aprovação unânime entre todos os 11 votos nas reuniões do conselho.

Percival informou também que não haverá qualquer mudança no nome e nas placas dos pontos de atendimento do Panamericano. A marca, segundo ele, continua normalmente.

O executivo explicou que, para a Caixa, a grande vantagem do negócio será a sinergia entre as instituições, o que permitirá oferecer os produtos e serviços financeiros do banco federal aos 2,5 milhões de clientes do Panamericano e aos portadores de 9,5 milhões de cartões de crédito emitidos pelo Grupo Silvio Santos. "Com esse universo, será possível à Caixa crescer mais de 40% nas operações de crédito neste ano", afirma.

Funcionários das duas instituições já recebem treinamento para ofertar produtos dos novos sócios aos clientes. Para que as vendas comecem, os sistemas de informática estão sendo adaptados. A oferta de produtos Caixa aos clientes Panamericano e vice-versa terá início nos próximos meses.

(Texto atualizado às 17h31)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.