BC continua política de absorver liquidez na economia, diz Meirelles sobre câmbio

'Compete a outras autoridades olhar o assunto sob outros pontos de vista', afirmou o presidente do BC

Ricardo Leopoldo, da Agência Estado,

30 de abril de 2010 | 15h37

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, reafirmou hoje que a instituição "continua normalmente na sua política de absorver excesso de liquidez na economia", ou seja, por meio dos depósitos compulsórios - em reais - ou pelo aumento de reservas internacionais em relação ao ingresso líquido de dólares no País. "O Banco Central continua comprando dólares na medida em que exista entrada líquida de recursos no País", comentou. "Caso exista uma carência de liquidez, o BC pode vender reservas."

No entanto, ante a insistência dos jornalistas no tema política cambial do governo, Meirelles fez um comentário adicional: "Compete a outras autoridades olhar o assunto sob outros pontos de vista". O presidente do BC não especificou se essas autoridades seriam membros do governo que administram a economia.

Essas declarações foram feitas pela manhã durante palestra no evento "Regulamentação do Artigo 192: Desenvolvimento e Cidadania", promovido pelo Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) e Ipea. Ontem à noite, o presidente do BC também ressaltou que o sistema cambial no Brasil é flutuante e não existe "nem piso, nem teto nem banda", após participar do evento Ranking AE Projeções, da Agência Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarcâmbioMeirelles

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.