BC dos EUA mantém juro perto de zero, mas diz que economia se fortalece

Autoridade monetária ressalta que mercado de trabalho do país começou a melhorar, mas o desemprego, ainda alto, está contendo os gastos do consumidor

Regina Cardeal, da Agência Estado,

28 de abril de 2010 | 15h25

O Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) manteve o juro dos Fed Funds - os títulos que lastreiam os empréstimos interbancários no overnight - inalterado na faixa de zero a 0,25% ao ano, recorde de baixa em que está desde dezembro de 2008. A frase de que os juros serão mantidos baixos por um "período prolongado" foi mantida no comunicado divulgado ao fim do encontro do banco central norte-americano. O Fed disse que a economia continua a se fortalecer e ressaltou que o mercado de trabalho começou a melhorar, mas o desemprego, ainda alto, está contendo os gastos do consumidor.

 

"Informação recebida desde que o Fed se reuniu em março sugere que a atividade econômica continua a se fortalecer e que o mercado de trabalho está começando a melhorar", diz o comunicado. Depois de sua reunião de março, o Fed havia dito que o mercado de trabalho estava se "estabilizando". O Fed reiterou que a inflação "deve continuar contida por algum tempo".

 

Em sua reunião, o Fed também discutiu como encolher o portfolio de mais de US$ 1 trilhão em títulos lastreados em hipotecas sem ferir a recuperação. O comunicado de hoje simplesmente reiterou que o Fed continuará a monitorar a economia e os mercados financeiros e ficará pronto para comprar ou vender ativos conforme o necessário. Mas as minutas da reunião de hoje, que devem ser divulgados em 19 de maio, podem mostrar a intensificação do debate dentro do banco central sobre a necessidade de vender ativos.

 

Mais uma vez, o presidente do Fed de Kansas, Thomas Hoeneg, foi o único dissidente entre os 10 membros-votantes do comitê de política monetária do Fed. Ele queria retirar a frase "por um período prolongado" do comunicado, como fez em janeiro e março. As informações são da Dow Jones.

 

Veja a íntegra do comunicado do Federal Reserve:

 

"A informação recebida desde que o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) se reuniu em março sugere que a atividade econômica continuou a se fortalecer e que os mercados de mão de obra estão começando a melhorar. O crescimento nos gastos das famílias acentuou-se recentemente, mas continuam limitados pelo elevado desemprego, modesto crescimento da renda, menor riqueza dos imóveis residenciais e crédito apertado.

 

Os gastos das empresas em equipamentos e software aumentou significativamente; contudo, o investimento em estruturas não residenciais está declinando e as empregadoras estão relutantes em aumentar a folha de pagamentos. As novas construções residenciais iniciadas cresceram, mas permanecem em um nível deprimido. Embora os empréstimos bancários continuem a contrair, as condições nos mercados financeiros seguem dando suporte ao crescimento econômico. Embora o ritmo da recuperação econômica provavelmente seja moderado por um tempo, o Comitê antecipa um gradual retorno aos níveis mais altos de utilização dos recursos em um contexto de estabilidade de preço.

 

Com a substancial folga de recursos continuando a limitar a pressão de custos e com as expectativas de inflação de longo prazo estáveis, a inflação provavelmente será contida por algum tempo.

 

O Comitê manterá a meta para a taxa dos Fed Funds em uma faixa de zero a 0,25% e continua a antecipar que as condições econômicas, incluindo baixa taxa de utilização de recursos, tendência de inflação contida e expectativas de inflação estáveis, provavelmente vão garantir níveis excepcionalmente baixos para a taxa dos Fed Funds por um período prolongado. O Comitê continuará a monitorar o prognóstico econômico e os acontecimentos financeiros e empregará suas ferramentas de políticas conforme o necessário para promover a recuperação e a estabilidade dos preços.

 

À luz da melhora no funcionamento dos mercados financeiros, o Federal Reserve encerrou todos menos um dos programas especiais de liquidez que criou para dar suporte aos mercados durante a crise. O único programa remanescente, o Programa de Empréstimos de Ativos lastreados em Ativos (Term Asset-Backed Securities Loan Facility) está programado para ser encerrado em 30 de junho para empréstimos lastreados em novos ativos lastreados em hipotecas comerciais. Ele foi encerrado em 31 de março para empréstimos lastreados em todos os outros tipos de colaterais.

 

Votaram a favor da ação de política monetária: Ben S. Bernanke, presidente; William C. Dudley, vice-presidente; James Bullard; Elizabeth A. Duke; Donald L. Kohn; Sandra Pianalto; Eric S. Rosengren; Daniel K. Tarullo; e Kevin M. Warsh.

 

Votou contra a ação de política Thomas M. Hoenig, que acredita que continuar a expressar a expectativa de níveis de juro excepcionalmente baixos da taxa dos Fed Funds por um período prolongado não é mais justificado, porque pode levar a construção de desequilíbrios financeiros e elevar os riscos para a estabilidade macroeconômica e financeira no prazo mais longo, além de limitar a flexibilidade do Comitê para começar a elevar modestamente os juros."

Tudo o que sabemos sobre:
FedjuroFed Funds

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.