BC dos EUA trabalha com o Tesouro em plano para eventual calote da dívida

Informação foi dada hoje pelo presidente do Fed de Filadélfia ao comentar que autoridade monetária tem um plano de contingência em relação aos títulos da dívida do país

Regina Cardeal, da Agência Estado,

20 de julho de 2011 | 17h35

Em entrevista para a Reuters nesta quarta-feira, 20, Charles Plosser, presidente do Fed de Filadélfia, disse que o banco central norte-americano está trabalhando num plano de contingência para o caso de default dos EUA. A reação do mercado aos comentários foi muito limitada, tanto entre as taxas de retorno dos Treasuries, quando na variação do dólar.

Após ressaltar que acredita que o presidente Barack Obama e o Congresso vão chegar a um acordo para elevar o teto da dívida - o que afastaria um risco de default -, Plosser disse que parte do plano de contingência tem como foco quais pagamentos de Treasuries seriam liberados em caso de default. Ele afirmou que o Fed vem trabalhando em proximidade com o Tesouro sobre isso.

Plosser também manteve sua postura agressiva em relação à política monetária, voltando a defender aumento das taxas de juro no segundo semestre, uma vez que acredita que a economia vai ganhar velocidade no decorrer do ano.

Um corretor sênior de Treasuries de um grande banco, ao explicar a falta de reação dos Treasuries, disse que Plosser está "otimista com uma recuperação da economia no segundo semestre". De resto, disse, não "há nada de novo e não surpreende que o Fed esteja olhando a planos de contingência 'just in case'".

Às 17h18 (de Brasília), o Treasury de dez anos projetava juro de 2,93895%. O euro era negociado em US$ 1,4223, de US$ 1,4150 no fim da tarde de ontem. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
euacalotedividafed

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.