BC exige que bancos indiquem diretor para acessar central derivativos

 'A central vai aumentar a segurança e transparência das operações', afirmou o chefe do Departamento de Normas do BC

Adriana Fernandes, da Agência Estado,

30 de setembro de 2010 | 15h40

Os bancos que quiserem fazer consultas à Central de Exposição em Derivativos (CED) terão que indicar ao Banco Central o nome de um diretor responsável pela área. A obrigatoriedade foi estabelecida em resolução aprovada nesta quinta-feira, 30, pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Segundo o chefe do Departamento de Normas do Banco Central, Sérgio Odilon dos Anjos, a central foi constituída pelas próprias instituições financeiras por meio da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e a autoridade monetária considerou relevante que haja a indicação de um diretor responsável. Ele destacou que os bancos sempre participam como uma das partes nas operações feitas no mercado financeiro com derivativos.

Pelas normas do CMN, os bancos já são obrigados a indicar o nome de diretor responsável para diversas áreas de atuação. Esse diretor é a primeira pessoa que responde pelo banco em casos de fiscalização, por exemplo. "A central vai aumentar a segurança e transparência das operações com derivativos", disse.

 

 O chefe do Departamento de Normas explicou que a resolução não obriga os bancos a fazerem as consultas à CED. "Mas se o banco quiser fazer consultas à central, terá que ter um diretor responsável. O BC não regula os mercados derivativos. Regula a participação dos bancos nesse mercado", disse Odilon dos Anjos. O Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é quem é responsável pela regulação do mercado de derivativos.

A CED, segundo ele, está iniciando as suas operações. Pela nova central, os bancos poderão ter informações da exposição das empresas em mercados derivativos.

Tudo o que sabemos sobre:
derivativoscentralBCdiretor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.