BC japonês mantém juro e rejeita proposta de afrouxamento

Proposta de vice-presidente do BC de expandir compra de ativos foi rejeitada; juros básicos foram mantidos entre 0% e 0,1% ao ano  

Danielle Chaves, da Agência Estado,

28 de abril de 2011 | 07h14

Os membros do conselho diretor do Banco do Japão (BOJ) votaram unanimemente pela manutenção da taxa básica de juros entre 0,0% e 0,1%. A instituição também anunciou detalhes da linha de crédito especial criada no começo deste mês para facilitar o fluxo de capital para as regiões atingidas pelo terremoto de 11 de março, que foi seguido por um tsunami.

Sob o programa, o BOJ vai oferecer 1 trilhão de ienes (US$ 12 bilhões) em empréstimos de um ano com juro de 0,1% para empresas financeiras com filiais nas áreas afetadas. O conselho do banco central decidiu na reunião de hoje que cada banco participante poderá tomar emprestado um máximo de 150 bilhões de ienes. As solicitações para os recursos deverão ser feitas até o fim de outubro deste ano.

O BOJ também concordou em ampliar a abrangência dos ativos financeiros que aceita como colateral em uma tentativa de garantir capacidade de financiamento suficiente para as instituições financeiras das áreas atingidas pelo desastre de março.

Em um movimento inesperado, o BOJ informou que o vice-presidente da instituição, Kiyohiko Nishimura, propôs na reunião que o tamanho do programa de compra de ativos do banco central fosse expandido para 15 trilhões de ienes, dos atuais 10 trilhões de ienes. A proposta foi rejeitada pela maioria dos votos, segundo o BOJ. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoeconomiajurosBCativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.