BC: superávit primário jan-jul é de R$ 52,796 bi (5,59% do PIB)

Brasília, 27 - As contas do setor público acumulam no ano um superávit primário de R$ 52,796 bilhões até julho, o equivalente a 5,59% do PIB. Com esse resultado, faltam agora R$ 4,104 bilhões para o governo conseguir cumprir a meta de R$ 56,9 bilhões de superávit primário acertada com o FMI para setembro. O esforço fiscal feito pelo setor público até julho é maior do que o obtido nos sete primeiros meses do ano passado, quando o superávit primário estava em R$ 44,329 bilhões (5,20% do PIB). Em 12 meses até julho desse ano, o superávit primário até agora é de R$ 74,641 bilhões, o correspondente a 4,65% do PIB. (Adriana Fernandes e Gustavo Freire) O governo federal, Estados, municípios e empresas estatais já pagaram nos sete primeiros meses desse ano R$ 72,203 bilhões, o equivalente a 7,65% do PIB. Embora R$ 17,056 bilhões menor do que os gastos com juros do mesmo período de 2003 (R$ 89,259 bilhões), o setor público teve um déficit nominal de R$ 19,407 bilhões nos sete primeiros meses desse ano. No ano passado até julho, o déficit nominal era bem maior: R$ 44,931 bilhões. Essa queda do déficit nominal se deve à combinação de despesas com juros menores e maior superávit primário no período. A queda dos gastos com pagamentos dos juros reflete a redução da taxa Selic de 2003 para 2004. (Adriana Fernandes e Gustavo Freire) As empresas estatais federais tiveram, em julho, um superávit primário de R$ 1,191 bilhão, segundo dados divulgados há pouco pelo Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC). O valor é superior aos R$ 581 milhões de superávit alcançado em junho e inferior aos R$ 1,276 bilhão de julho de 2003. As estatais estaduais, por sua vez, tiveram um déficit primário de R$ 7 milhões em julho e as dos municípios registraram um déficit de R$ 12 milhões. Em junho, as estatais estaduais tinham conseguido obter um superávit primário de R$ 296 milhões e as municipais um resultado também superavitário de R$ 3 milhões. No período de janeiro a julho, as empresas estatais federais acumulam um superávit primário de apenas R$ 39 milhões. Apesar de pequeno, o resultado ainda é melhor que os R$ 33 milhões de superávit obtido em igual período do ano passado. As empresas estatais estaduais, em contrapartida, têm uma superávit primário acumulado de R$ 1,521 bilhão (0,16% do PIB) no período de janeiro a julho do corrente ano. O valor, entretanto, é menor que os R$ 2,417 bilhões (0,28% do PIB) de igual período do ano passado. As estatais municipais acumulam, segundo os dados do BC, um superávit primário de R$ 27 milhões de janeiro a julho deste ano. O valor é inferior aos R$ 189 milhões (0,02% do PIB) de igual período de 2003. O resultado primário das estatais federais acumulado em 12 meses até julho estava em R$ 9,604 bilhões (0,60% do PIB). O superávit das estaduais em mesmo período estava em R$ 2,897 bilhões (0,18% do PIB) e o das municipais era de R$ 55 milhões. Em junho, o superávit acumulado das estatais federais estava em R$ 8,778 bilhões (0,55% do PIB) e o das estaduais somava o equivalente a R$ 3,537 bilhões (0,22% do PIB). O resultado primário das estatais municipais acumulado em 12 meses até junho correspondia, por sua vez, a R$ 77 milhões. (Gustavo Freire e Adriana Fernandes)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.