Belo Monte receberá R$ 22,5 bilhões do BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta segunda-feira o maior empréstimo de sua história para um único projeto. O financiamento, com prazo de 30 anos, somará R$ 22,5 bilhões, para o consórcio Norte Energia S.A., que investirá R$ 28,9 bilhões no empreendimento. O consórcio venceu o leilão em março de 2010 e as obras começaram no primeiro semestre de 2011.

VINICIUS NEDER, Agencia Estado

26 de novembro de 2012 | 20h13

Com Belo Monte, os cinco maiores projetos aprovados pelo BNDES, todos incluídos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), somam R$ 57,1 bilhões, considerando aprovações desde 2008.

O valor anunciado supera em mais que o dobro o financiamento à Refinaria Abreu e Lima, da Petrobrás, em Pernambuco, aprovado em 2009, no valor de R$ 9,9 bilhões. Já a construção da usina nuclear Angra III, no litoral sul do Estado do Rio, teve financiamento de R$ 6,1 bilhões, aprovado em 2010.

Belo Monte também receberá mais do que a soma das duas usinas hidrelétricas do Rio Madeira, em Rondônia: Santo Antônio teve empréstimo de R$ 6,1 bilhões, aprovado em 2008, e Jirau teve R$ 9,5 bilhões, incluindo uma suplementação de R$ 2,3 bilhões aprovada em setembro passado.

O total dos empréstimos nos cinco projetos poderá subir. A chefe do Departamento de Energia do BNDES, Marcia Leal, informou que há a possibilidade de a usina de Santo Antônio também receber um adicional, se o projeto for ampliado. "Se ele tiver a capacidade de pagamento ampliada e necessitar de investimentos adicionais, não tem porque não", disse.

A usina de Belo Monte terá capacidade instalada de 11.233 megawatts (MW), terceira maior do mundo. A previsão é que comece operar em fevereiro de 2015, com conclusão total em janeiro de 2019. Apesar das interrupções nas obras por decisões da Justiça e protestos, o diretor de Infraestrutura e Insumos Básicos do BNDES, Roberto Zurli, destacou que o cronograma está mantido, embora sejam normais "percalços ao longo do caminho".

O consórcio Norte Energia S.A. é formado pelas elétricas Eletrobrás, Chesf, Eletronorte, Neoenergia, Cemig, Light e J. Malucelli Energia; pelos fundos de pensão Petros (da Petrobrás) e Funcef (da Caixa); pela mineradora Vale e pela siderúrgica Sinobrás.

Tudo o que sabemos sobre:
Belo MontefinanciamentoBNDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.