Best Buy e fundador fecham acordo para possível compra

A varejista de eletrônicos norte-americana Best Buy e seu fundador e ex-presidente Richard Schulze chegaram a um acordo pelo qual Schulze nomeará um grupo de investimento para conduzir uma auditoria na empresa, segundo o Wall Street Journal.

SERGIO CALDAS, Agencia Estado

27 de agosto de 2012 | 11h26

O acordo desconsidera uma lei de Minnesota que, de acordo com Schulze, o impedia de ir em frente com uma possível oferta de compra da Best Buy sem permissão da rede varejista.

Pelo acordo anunciado nesta segunda-feira Schulze tem 60 dias para a auditoria e, se sua proposta for rejeitada, terá direito a fazer outra oferta em janeiro. Se a segunda proposta também for rejeitada, o fundador poderá submetê-la a uma votação dos acionistas no ano que vem. Se os acionistas também disserem não, Schulze terá de esperar que o trato vença, em um ano, antes de tomar qualquer outra medida.

O acordo também dá a Schultze, que hoje tem uma participação de pouco mais de 20% na Best Buy, de assumir dois assentos no conselho de diretoria. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Best Buyfundadoracordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.