Biodiesel: priorizar pesquisa em pólo é impossível, diz Dabdoub

Ribeirão Preto, 22 - O coordenador do Laboratório de Desenvolvimento de Tecnologias Limpas (Ladetel) da Universidade de São Paulo (USP), Miguel Dabdoub, considerou "impossível" de ser cumprida a decisão do Ministério da Agricultura de centralizar no Pólo Nacional de Biocombustíveis, em Piracicaba, as pesquisas com o biodiesel. A decisão, anunciada há uma semana pelo ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, visa a blindar as pesquisas com o combustível consideradas pelo governo dispersas e sem uma linha de ação comum. "Nós iremos colaborar se formos chamados, mas, com todo o respeito ao ministro, acho impossível essa decisão ser concretizada porque Piracicaba não tem a menor tradição nas pesquisas com o biodiesel", afirmou Dabdoub. O presidente da Câmara Setorial do Açúcar e do Álcool do Ministério da Agricultura e um dos idealizadores do Pólo Nacional de Biocombustíveis, Luiz Carlos Corrêa Carvalho, disse que "Dabdoub deveria cuidar do trabalho que vem sendo feito na USP e não dar opinião sobre esse assunto". No próximo dia 3, o governo lança oficialmente o Pólo, durante evento na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), em Piracicaba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.