Jeff Chiu/AP
Jeff Chiu/AP

Black Friday anima o comércio nos EUA e lojistas esperam bons resultados

As lojas que abriram à meia-noite no horário local atraem as maiores multidões

Álvaro Campos, da Agência Estado,

25 de novembro de 2011 | 14h17

Os consumidores estão animados neste início da temporada de compras para as festas de fim de ano, dando aos varejistas dos EUA esperanças de bons resultados. Muitas lojas vão ficar abertas por um período maior de tempo e oferecem grandes descontos nesta sexta-feira preta (Black Friday), o dia seguinte ao feriado de Ação de Graças, quando tradicionalmente as lojas saem do "vermelho".

As lojas que abriram à meia-noite (no horário local) parecem atrair as maiores multidões. A unidade da Macy's, no Herald Square, em Nova York, estava lotada de curiosos, turistas e pessoas atrás de boas oportunidades de compra.

Muitos dizem que fizeram a "lição de casa" antes de ir às compras. "Isso me permitir fazer todas as minhas de compras de fim de ano muito mais rápido", comenta Barbara Lawrence, enquanto ela e a mãe empurram dois carrinhos lotados de mercadorias no estacionamento de uma unidade do Wal-Mart. Como fazem muito outros compradores, elas ainda iriam passar por diversas outras lojas hoje. Na semana passada ela já tinha feito uma lista de onde estavam os melhores preços, pesquisando nos sites das lojas e no anúncios na imprensa.

De acordo com uma pesquisa do International Council of Shopping Centers, 34% dos consumidores dizem que planejam fazer compras na Black Friday, acima da marca de 31% registrada em 2010 e dos 26% de 2009. Já um estudo da National Retail Federation mostra que 152 milhões de pessoas devem ir às compras durante o feriado prolongado, número quase 10% maior do que no ano passado.

"As lojas estão extremamente lotadas", disse Jevin Eagle, diretor de marketing e merchandising da Staples. "Mas ainda é muito cedo para dizer se vamos atingir as metas. É uma maratona longa", comentou. Steven Castro, líder de vendas de eletrônicos portáteis da unidade da Best Buy em Union Square, disse que o fluxo de clientes foi constante durante a madrugada, com pequenos momentos de pico a cada hora, aproximadamente. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
Black Fridayconsumo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.