Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

BNDES começa a vender sua participação na JBS e movimenta R$ 2,6 bilhões

Banco esperou dois anos para se desfazer de ações; operação ocorre em momento de máximas históricas para os papéis da gigante dos alimentos

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2021 | 12h42

Mais de dois anos depois de colocar na mesa a venda de sua participação na gigante dos alimentos JBS - e vivendo uma relação cercada de polêmicas -, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) começou a se desfazer do investimento na manhã de desta quinta-feira, 16, em uma operação que movimentou cerca de R$ 2,6 bilhões. A transação foi feita por meio de um leilão na bolsa de valores.

O banco vendeu 70 milhões de ações, uma fatia de aproximadamente 12% de sua participação na empresa da família Batista, ou 2,95% do capital. Antes da transação, o banco de fomento tinha uma fatia de 24,5% na empresa, a maior exposição da carteira em renda variável da instituição financeira.

Apesar de o mercado estar enfrentando grande aversão ao risco, a venda pelo banco ocorre em um momento em que a ação da JBS está na sua máxima histórica, valendo na B3 quase R$ 90 bilhões.

Na gestão de Gustavo Montezano, o BNDES reduziu em quase R$ 80 bilhões sua carteira de renda variável, se despedindo das chamadas gigantes nacionais, como Petrobras, Vale e Suzano. Para seguir vendendo suas ações da JBS, até zerar sua posição, o BNDES terá que aguardar ao menos 90 dias, já que se comprometeu com investidores a esperar esse prazo para realizar um novo movimento.

Procurado, o BNDES não comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.